Belém Cinema: O Resgate do Soldado Ryan de Steven Spielberg

No Grande Auditório do CCB, dia 1 de novembro, às 16h00, há cinema, o “Resgate do Soldado Ryan” de Steven Spielberg, numa versão restaurada em 4K, com Tom Hanks, Matt Damon, Tom Sizemore, Adam Goldberg, Vin Diesel.

0
Belém Cinema: O Resgate do Soldado Ryan de Steven Spielberg
Belém Cinema: O Resgate do Soldado Ryan de Steven Spielberg. Foto: DR

O Resgate do Soldado Ryan é um verdadeiro épico de guerra que transporta o espetador para as praias e aldeias da Normandia e o relembra do sofrimento e sacrifício dos jovens soldados que combateram pela libertação da Europa do jugo de Adolf Hitler.

Inspirado em factos verídicos, O Resgate do Soldado Ryan conta a história da arriscada missão do Capitão John Miller (Tom Hanks) e de um pequeno pelotão de oito homens (Tom Sizemore, Edward Burns, Barry Pepper, Adam Goldbert, Vin Diesel, Jeremy Davies e Giovanni Ribisi) encarregue de resgatar o soldado James Ryan (Matt Damon), desaparecido atrás das linhas inimigas na França ocupada.

O jovem Ryan ganha o direito de regressar a casa depois de o Exército constatar que os seus três irmãos haviam perecido no desembarque nas praias da Normandia. Miller e os seus homens vão então cruzar as linhas inimigas em busca deste jovem soldado, encetando uma viagem que servirá para conhecer a força da camaradagem, a resiliência e o sofrimento e, no caso de alguns, o derradeiro sacrifício.

O Resgate do Soldado Ryan tornou-se rapidamente numa referência no seu género: os primeiros 20 minutos do filme, nos quais é retratado o terrível desembarque nas praias da Normandia (ocorrido a 6 de junho de 1944), foram considerados por muitos veteranos da Segunda Guerra Mundial como das cenas mais realísticas alguma vez recriadas em cinema e, certamente, uma das mais violentas. Ao contrário do que se possa pensar, a intenção do realizador foi a de se manter fiel às condições e situações brutais vividas pelos soldados em Omaha Beach, procurando recriá-las de forma crua, sem atenuar nem fazer da violência puro espetáculo.

Para a recriação precisa do desembarque e início da invasão, Spielberg sujeitou os atores a treino militar intensivo e chamou mais de mil figurantes (muitos deles verdadeiros soldados), que rodaram o filme durante 59 dias, 25 dos quais apenas para a sequência inicial do filme. Numa produção extremamente atenta aos detalhes, foram costurados cerca de 3 mil uniformes e 2 mil botas. As armas levaram cerca de três meses para ficarem prontas e muitos dos veículos utilizados em cena foram “importados” dos Estados Unidos. Ao todo, só a rodagem do desembarque custou, em 1998, 70 milhões de dólares.

As cenas de um tremendo realismo, o desempenho dos atores e a força das imagens levaram a que o filme fosse rapidamente aclamado pelo público e pela crítica especializada. Apesar de ter sido classificado para audiências restritas (por causa da violência), tornou-se rapidamente no maior êxito de bilheteira de 1998, com receitas de mais de 500 milhões de dólares.

O Resgate do Soldado Ryan foi nomeado para 11 Óscares, tendo vencido nas categorias de Melhor Realizador, Fotografia e Montagem, sendo esta última um trabalho sublime de Michael Kahn. O filme também venceu o Globo de Ouro para Melhor Filme na categoria Drama, entre outros prémios e nomeações. É desde o seu lançamento considerado uma das referências incontornáveis e essenciais do género e um filme crucial na história do cinema.

Resgate do Soldado Ryan de Steven Spielberg, numa versão restaurada em 4K, no Grande Auditório do CCB, dia 1 de novembro, às 16h00.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!