A NÃO PERDER

Luzes das cidades são armadilhas para aves migratórias

Estudo analisou como os pássaros são atraídos pela poluição luminosa artificial das áreas urbanas, os riscos de colidirem contra edifícios altos, e o aumento de densidade levar ao esgotamento dos recursos e ao risco de conservação das espécies.

As florestas podem substituir o petróleo

Madeira tem potencial para substituir o petróleo na química e o betão na construção, concluíram investigadores envolvidos no Programa Nacional Suíço de Investigação ‘Recursos de Madeira’. Da madeira extraíram valiosos compostos químicos.

Pequeno dinossauro carnívoro descoberto perto de Torres Vedras

Investigadores ainda não classificaram o dinossauro carnívoro juvenil descoberto perto de Torres Vedras dado que os elementos fosseis do esqueleto apresentam diferenças com os dinossauros descobertos em Portugal. O dinossauro pode pertencer a um grupo não classificado.

Ilha de Ataúro possui a maior biodiversidade marinha do mundo

Biólogos da Conservation International registaram 643 espécies de peixes de recife nas águas da ilha de Ataúro. O Governo de Timor-Leste está a introduzir regras para proteger os ecossistemas marinhos da ilha.

Leguminosas podem dar sustentabilidade à agricultura europeia

Europa importa mais de 70% de proteínas para apoiar a indústria da carne e estudo científico indica que um aumento de cultivo de leguminosas pelos agricultores europeus pode aumentar a sustentabilidade, beneficiar o ambiente e a economia.

TERRA

Investigadores descobriram dois micróbios que possuem notável capacidade para tolerar e acumular tungsténio. Os micróbios recolhidos no fundo do mar, a 600 quilómetros a sul dos Açores, em zonas de vulcões submarinos, vão permitir desenvolver biossensores e biofiltros.
F Facebook TVE
Instituto Politécnico de Leiria

Tubarão anequim enfrenta ameaça de extinção

Estudo de equipa de investigadores portugueses conclui que tubarão anequim enfrenta ameaça de extinção. Investigadores defendem que a pesca da espécie deve parar por completo em janeiro de 2018, para eventuais sinais de recuperação em 2040.
Luís Vítor Duarte, docente e investigador da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

Estudo na península de Peniche esclarece sobre anoxia marinha

Novo estudo realizado sobre o Jurássico na península de Peniche indica que evento anóxico marinho terá durado um milhão de anos. Um evento que provocou uma importante extinção marinha à escala global.
Equipa de investigadores faz medições de Radão no solo

Populações de Trás-os-Montes expostas a risco elevados de Radão

Estudo sobre o gás Radão na região de Trás-os-Montes e Alto Douro conclui que algumas populações estão sujeitas níveis que ultrapassam as recomendações comunitárias. O estudo do gás em rochas, solos e habitações envolveu a UTAD e UC.
Medronheiro

Medronheiro em risco em Portugal

Recursos genéticos do medronheiro estão em risco em Portugal, indica estudo coordenado pelo ISA. Os investigadores alertam para a necessidade de práticas e procedimentos que mantenham os recursos genéticos do medronheiro.
Região de incêndio

Estudo confirma influência humana em fogos à escala global

Estudo coordenado pelo Centro de Estudos Florestais do Instituto Superior de Agronomia mostra que a influência humana é decisiva na ocorrência de fogos em várias regiões do globo, incluindo o Noroeste da Península Ibérica.
Cientistas analisam polvo

Cientistas portugueses descobrem o maior polvo da Antártida

Equipa de investigadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia, da Universidade de Coimbra, e do National Institute of Water and Atmospheric Research, da Nova Zelândia, confirmam descoberta do maior polvo até agora encontrado na Antártida.
Estudo da UC contribui para conservar Parque Nacional da Gorongosa

Estudo da UC contribui para conservar Parque Nacional da Gorongosa

Parque Nacional da Gorongosa apresenta na floresta a mais elevada diversidade em fungos, indica estudo de investigação que também descobriu 22 novas espécies de fungos. O estudo liderado pela Universidade de Coimbra contribui para a gestão do ecossistema do parque.
Doentes de febre do feno podem duplicar na Europa.

Doentes de febre do feno podem duplicar na Europa

Número de pessoas a sofrer de febre dos fenos, por pólen de plantas, pode duplicar até 2050, devido às alterações climáticas. São conclusões do estudo do projeto europeu ‘Atopica’, que aponta a ambrósia como uma das plantas a combater.
Árvore mais antiga a viver na Europa tem 1075 anos

Árvore mais antiga a viver na Europa tem 1075 anos

Descoberta a árvore viva mais antiga na Europa. O pinheiro bósnio vive numa montanha na Grécia, foi datado com 1075 anos e atribuído o nome ‘Adónis’. Investigadores estudam a partir dos anéis o clima na região mediterrânica.

Siga-nos nas redes sociais

DESTAQUE

MAIS LIDAS

MAIS DESTAQUES

RELACIONADOS