Coro Gulbenkian canta Liberdade a partir de casa

Coro Gulbenkian canta a Liberdade. A partir de casa 36 vozes cantam um poema de Sophia Mello Breyner Andresen, extraído da obra “Mar novo”, numa composição do coralista Miguel Jesus.

0
Coro Gulbenkian canta Liberdade a partir de casa
Coro Gulbenkian canta Liberdade a partir de casa

Depois dos músicos da Orquestra Gulbenkian terem interpretado um excerto da Sinfonia n.º 40 de Mozart, agora é a vez de 36 vozes do Coro Gulbenkian cantarem a Liberdade, a partir das suas casas.

Um poema de Sophia Mello Breyner Andresen, extraído da obra “Mar novo”, de 1958, serviu de inspiração ao coralista Miguel Jesus para compor a peça que agora podemos ouvir num qualquer palco improvisado, até que as portas do Grande Auditório se voltem a abrir.

Uma forma diferente de celebrar esse “dia inicial inteiro e limpo”, como lhe chamou a poeta, até voltarmos ao desejado momento em que ouviremos o Coro e a Orquestra Gulbenkian, tal como sempre gostámos de ouvir: ao vivo!


Liberdade II

Sophia Mello Breyner Andresen

Aqui nesta praia onde

Não há nenhum vestígio de impureza,

Aqui onde há somente

Ondas tombando ininterruptamente

Puro espaço e lúcida unidade,

Aqui o tempo apaixonadamente

Encontra a própria liberdade

In “Mar novo”, 1958

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!