Air Race Championship e Air Show deram cor ao Tejo

Corrida, acrobacias e demonstrações de vários tipos de aeronaves levaram milhares de pessoas ao Parque nas Nações, em Lisboa. Durante dois dias o céu do Mar da Palha, no Tejo, encheu-se de cor com o Air Race Championship e Air Show.

0
Air Race Championship e Air Show deram cor ao Tejo
Air Race Championship e Air Show deram cor ao Tejo. Foto: Rosa Pinto

No Parque das Nações, em Lisboa, nos dias 2 e 3 de julho, milhares de pessoas assistiram ao Air Show e ao Air Race Championship, de 2016. As aeronaves percorreram um circuito previamente estabelecido no Mar da Palha, no Tejo, mesmo em frente do Meo Arena e da Feira Internacional de Lisboa.

O Air Show esteve a cargo da Força Aérea Portuguesa que está a comemorar o Centenário da Aviação Militar. Um espetáculo aéreo que permitiu demonstrar muitas das atividades de missão que a Força Aérea realiza diariamente.

No Mar da Palha, 8 pylons insufláveis estabeleceram os limites do circuito para as diferentes provas – Sport, Vintage e Extreme. Quatro pylons insufláveis para o circuito oval de qualificação e corrida, e outros quatro para, em conjunto, servirem para o circuito de qualificação Match.

Na Classe Sport competiram 8 pilotos, entre eles o Português Carlos Costa. Na Classe Vintage, dos 8 pilotos envolvidos na prova, dois eram portugueses, Fernando Marinho Pereira e Pedro Cerveira Pinto. Na Classe Extreme, também figurou um português na lista dos 8 pilotos, neste caso, Jorge Fachadas. Nesta classe competiu a piloto norte americana Vicky Benzing, a única mulher piloto nas três classes.

Em termos de resultados, os vencedores por classe foram: na Classe Sport, o espanhol Javier Del Cid, na Classe Vintage, ficou em primeiro lugar o espanhol Nacho Pozo, o português Jorge Fachadas ficou 2º lugar no pódio; na Classe Extreme, foi a vez do norte-americano, Scott Farnworth ficar em primeiro lugar.

No Air Show houve demonstração de performance pela patrulha ‘Águia’ de Espanha, uma demonstração por caças supersónicos F-16M da Bélgica, pela patrulha ‘Marche Verte’, de Marrocos, por caça-bombardeiros Alpha-jet, Chipmunks de instrução elementar de pilotagem e F-16 jaguares e falcões de Portugal, bem como demonstrações de intervenção em operações de busca e salvamento por helicópteros EH-101, Alouette III e LYNX.

O avião bimotor, turbo-hélice de transporte C-295M, o avião de patrulha marítima P-3C e avião quadrimotor, turbo-hélice C-130H, fizeram a sua aparição demonstrando as capacidades para voar a baixa altura e as facilidades de manobra.

Para além do avião a jato Falcon 50, uma equipa de paraquedistas ‘Falcões Negros’ transportaram dos céus a Bandeira Portuguesa numa sempre belíssima descida de para-quedas.

A TAP associou-se ao Air Show e trouxe até ao Parque das Nações um dos A340. Sobre esta apresentação, as manobras, a arte do piloto, as capacidades da aeronave e a ausência de ruído, mesmo a tão baixa altura, apenas podemos dizer que foi ‘espantoso’.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!