Ana Cristina Neves eleita líder Digital Europeu do Ano

Ana Cristina Neves, da Fundação para a Ciência e Tecnologia, foi eleita líder Digital Europeu do Ano. O prémio é o reconhecimento do elevado desempenho na implementação das TIC na competitividade das organizações.

0
Ana Cristina Neves eleita líder Digital Europeu do Ano
Ana Cristina Neves eleita líder Digital Europeu do Ano. Foto: DR

A CIONET, a maior comunidade de executivos de TI na Europa, com mais de 7.000 decisores tecnológicos anunciou os cinco vencedores europeus do prémio de Chief Information Officer (CIO) Europeu do Ano.

Estes prémios reconhecem o sucesso dos CIO no aumento de competitividade das organizações onde trabalham utilizando Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), para criar um valor comercial significativo.

Os prémios, que vão na oitava edição, são atribuídos pela CIONET que para o efeito reúne um comité de especialistas para selecionar os vencedores entre uma seleção, que no ano de 2018, foi de 23 finalistas proeminentes de 8 países europeus, incluindo Portugal.

Os vencedores do prémio CIO europeu do ano são os seguintes:

Líder Digital Europeu do Ano: Ana Cristina Neves, Diretora do Departamento de Sociedade da Informação, Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), Portugal;

Inovador Digital Europeu do Ano: Stefan Würtemberger, Diretor Digital da RENZ GmbH, Alemanha;

CIO Europeu do Ano, Setor Público: Jaime Sanz García, Diretor de Informática, Correos, Espanha;

CIO Europeu do Ano, Responsabilidade Regional: Emiliano Sorrenti, Diretor de Informações, Aeroporti di Roma, Itália;

CIO Europeu do Ano, Responsabilidade Global: Bouke Hoving, VP Executivo de Redes e TI, KPN, Holanda.

Os critérios de seleção incluíram a análise sobre o ajuste da estratégias TI levadas a cabo pelos CIO para dar resposta às necessidades do negócio onde atuam e sobre o grau de sucesso na implantação de TIC e equipas relacionadas para corresponder aos requisitos do negócio e gerir com eficiência as suas prioridades. Os vencedores finais foram selecionados com base nos seus próprios sucessos e nos das suas equipas.

Para Frederic De Meyer, diretor de programas da CIONET International, “a era do alinhamento de TI e de negócios acabou”, e acrescentou: “Existe uma mudança de foco de uma mera manutenção do funcionamento do negócio, enquanto se vão introduzindo novas tecnologias para, não apenas alinhá-las com o negócio, mas para se fundirem com ele.”

Para os membros do júri Nils Fonstad e Joe Peppard, do Centro de Investigação de Sistemas de Informação do MIT, “todos os finalistas são modelos a seguir para uma grande liderança digital. A promoção do capital social em toda a organização e a eliminação da armadilha do alinhamento ao co-evoluir com clientes e parceiros são duas das principais práticas que distinguem os CIO mais bem-sucedidos”.

“A CIONET tem feito de tudo para promover em termos internacionais a excelência dos Diretores de Informática portugueses”, afirmou Rui Serapicos, Managing Partner da CIONET Portugal. “A vitória da Ana Neves é exemplo disso, tal como foi o Nuno Miller em 2014, quando venceu o prémio na sua categoria”.

Ana Neves referiu, citada em comunicado da CIONET, que “é uma honra enorme receber este prémio, ainda mais no âmbito da qualidade e excelência a que a CIONET nos tem habituado”, e acrescentou: “Constitui um enorme estímulo e motivação para a continuação do meu trabalho nesta transformação digital diária”.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!