Arquiteto Paulo Mendes da Rocha distinguido com medalha de Mérito Cultural

Governo atribui medalha de Mérito Cultural ao arquiteto Paulo Mendes da Rocha. O arquiteto brasileiro, prémio Pritzker de 2006, é autor do projeto do novo edifício do Museu Nacional dos Coches, em Lisboa.

0
1
Partilhas
Arquiteto Paulo Mendes da Rocha
Arquiteto Paulo Mendes da Rocha. Foto: Rosa Pinto

O Ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, homenageou com a medalha de Mérito Cultural o Arquiteto Paulo Mendes da Rocha, hoje, 18 de maio, Dia Internacional dos Museus. A cerimónia teve lugar no Palácio Nacional da Ajuda, na presença de António Costa, Primeiro-Ministro, e coincidiu com a reabertura do Museu Nacional dos Coches.

Paulo Mendes da Rocha assumiu nas últimas décadas uma posição de destaque na arquitetura brasileira contemporânea, tendo sido galardoado no ano 2006 com o Prémio Pritzker, o mais importante prémio da arquitetura mundial.

Em Portugal, em 2008, por convite do Governo Português, Paulo Mendes da Rocha projetou as instalações do novo Museu Nacional dos Coches, junto ao rio Tejo, em Belém, obra oficialmente inaugurada a 23 de maio de 2015, e que “já recebeu diversas distinções e louvores internacionais e que muito contribuiu para a requalificação daquele espaço urbano e para um maior destaque de uma das principais coleções de coches do mundo.”

Paulo Mendes da Rocha nasceu em 1928 em Vitória, Estado do Espírito Santo, no Brasil, e formou-se em arquitetura na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Mackenzie, em São Paulo, em 1954.

Três anos depois de acabar o curso, em 1957, Paulo Mendes da Rocha desenvolveu a primeira obra de referência, o Ginásio do Clube Atlético Paulista, em São Paulo. Com este projeto ganhou o Grande Prémio Presidência da República na VI Bienal de São Paulo.

Em 1969, executou o projeto do Pavilhão Oficial do Brasil na Expo 70, em Osaka, no Japão, juntamente com Flávio Motta, Júlio Katinsky e Ruy Ohtake, e em 1971 esteve entre os finalistas premiados no concurso para o anteprojeto do Centro Cultural Georges Pompidou, em Paris.

Entre os principais projetos de Paulo Mendes da Rocha destaca-se, em 1987, o Museu Brasileiro de Escultura – MUBE, em São Paulo. Uma obra que lhe valeu, em 1999, a indicação para o I Prémio Mies van der Rohe de Arquitetura Latino-Americana, uma iniciativa da Fundação Mies van der Rohe.

Em 2000, o restauro da Pinacoteca do Estado de São Paulo deu-lhe o Prémio Mies van der Rohe de Arquitetura Latino-Americana, em Barcelona, mas são de destacar ainda os projetos da Capela de São Pedro Apóstolo, construção anexa ao Palácio Boa Vista, em Campos do Jordão, em 1987, o Museu de Arte de Campinas, em 1989, e a Casa Gerassi em 1989/1990, o projeto do conjunto arquitetónico do Cais das Artes, constituído por um Museu e um Teatro, na Enseada do Suá, em Vitória, obra cuja construção teve início em 2010.

De entre outros projetos da autoria do arquiteto consta uma cobertura sobre a Galeria Prestes Maia, na Praça do Patriarcado, em São Paulo, em 2002, e a intervenção e reforma da Estação da Luz, em São Paulo, convertida em Museu da Língua Portuguesa naquele local de 2006.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz