Arquivo Distrital de Braga com novas instalações

Ministro da Cultura inaugura novas instalações do Arquivo Distrital de Braga. As novas instalações têm capacidade para 16 quilómetros de documentação e condições para serviços técnicos de conservação e restauro, consulta de documentos e ações culturais.

0
1
Partilhas
Arquivo Distrital de Braga
Arquivo Distrital de Braga. Foto: DR

Arquivo Distrital de Braga, Centro Interpretativo da Universidade do Minho, inaugura novas instalações na rua Abade da Loureira, no centro de Braga. As novas instalações foram projetadas por Audemaro Rocha, e a obra num investimento de 2,8 milhões de euros, com apoio comunitário, foi executada em dez meses.

Num dos blocos do novo edifício com uma área total de 1400 metros quadrados distribuída por cinco pisos possui 11 depósitos e capacidade para mais de 16 quilómetros de documentação. Outro dos blocos, e a área entre os dois, vão albergar os serviços técnicos e espaços de uso público para consulta de documentos e ações pedagógicas e culturais, como exposições e conferencias.

Com as novas instalações o Arquivo Distrital de Braga passa a dispor de espaços destinados a atividades técnicas, nomeadamente em conservação e do restauro.

A inauguração das novas instalações do Arquivo Distrital de Braga no dia 28 de abril, com a presença do Ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, a Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Fernanda Rollo, o presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), Fernando Freire de Sousa, o responsável da Direção Regional de Cultura do Norte, António Ponte, o reitor da Universidade do Minho, António M. Cunha, e o diretor do ADB, António Sousa, vai permitir “uma melhor salvaguarda, valorização e divulgação do património arquivístico” bem como condições mais aptas para a “prestação de um serviço público fundamental na garantia dos direitos dos cidadãos e das instituições.”

O Arquivo Distrital de Braga, unidade cultural da Universidade do Minho, foi criado a 11 de agosto de 1917, perfazendo este ano cem anos. Agora no mesmo dia da inauguração das novas instalações é homenageado José Marques, professor, figura da cultura e historiografia portuguesa e com um papel destacado no estudo e na valorização dos fundos do Arquivo.

A sessão de homenagem, sob o mote “Entre a História e os Arquivos”, conta com intervenções de Luís Filipe de Castro Mendes, Fernanda Rollo e António M. Cunha, e também da presidente da Academia Portuguesa de História, Manuela Mendonça, da diretora da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Fernanda Ribeiro, e do presidente do Instituto de História e Arte Cristã, José Paulo Abreu.

Outro dos momentos do dia é o lançamento do livro ‘Alto Minho e Galiza – Estudos Históricos’, uma edição do Município de Melgaço e da Casa Museu de Monção coordenada pelo Viriato Capela, professor. O lançamento tem intervenções da vice-presidente do Conselho da Cultura Galega, Rosario Alvarez Blanco, do diretor do Arquivo Distrital de Braga, António Sousa, e da diretora do Departamento de História da Universidade do Minho, Fátima Moura Ferreira.

O Arquivo Distrital de Braga, inicialmente instalado no Convento dos Congregados, encontra-se desde 1934 no Complexo Largo do Paço, que acolhe também a Biblioteca Pública de Braga e a Reitoria da UMinho e que está ser requalificado.

O Arquivo possui “documentação produzida entre os séculos IX e XX, é um arquivo de caráter regional e uma referência nacional devido à riqueza dos seus fundos, que incluem, entre outros, um documento de D. Afonso Henriques de 1128 e o Liber Fidei, um cartulário do século XIII com transcrição de 953 documentos dos séculos VI a XIII.”

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz