Autocarro autónomo da Transdev apresentado em Portugal

Pela primeira vez em Portugal é apresentado o autocarro autónomo da Transdev. Uma apresentação inserida na participação no Lisbon Mobi Summit. No espaço junto à Central Tejo em Lisboa o público pode fazer gratuitamente uma viagem no inovador veículo.

0
Autocarro autónomo da Transdev apresentado em Portugal
Autocarro autónomo da Transdev apresentado em Portugal. Foto: DR

O autocarro que a Transdev trouxe a Lisboa é 100% elétrico e autónomo, dispensando volante e pedais, tem capacidade para 14 passageiros e uma autonomia média de nove horas. O veículo Navya Arma foi o modelo escolhido pela Transdev na apresentação de serviços de mobilidade autónoma partilhada que a operadora de transportes públicos vai realizar no Lisbon Mobi Summit, que decorre de 13 a 16 de setembro.

“Esta é a primeira presença da Transdev em Portugal com um veículo autónomo, mas estamos aptos e disponíveis para introduzir esta tecnologia nas soluções de transporte de municípios, empresas, em eventos privados e projetos inovadores. Queremos colocar a tecnologia autónoma ao serviço do transporte partilhado em qualquer lugar e para todos”, afirmou Pierre Jaffard, CEO da Transdev, citado em comunicado.

A tecnologia ligada à mobilidade sem emissões tem vindo a evoluir e ao mesmo tempo surgem projetos de veículos autónomos que possuem ainda mais benefícios quando utilizados numa lógica de partilha.

Para o responsável da Transdev “a mobilidade autónoma proporciona serviços ecológicos, mais flexíveis, personalizados e acessíveis, mais extensos no tempo e no espaço, mais segurança e conforto e serviços integrados e mais conectados, que contribuem para uma melhor experiência do consumidor.”

No caso dos autocarros autónomos operados pela Transdev, estes “recorrem a diversas tecnologias que permitem analisar em tempo real os percursos a realizar, bem como todos os obstáculos que possam surgir nos trajetos.”

Pierre Jaffard explicou que “os veículos estão equipados com múltiplos sensores e câmaras que detetam os obstáculos à sua volta, abrandando suavemente a marcha quando estes se aproximam e parando quando estão demasiado próximos. Por razões de cibersegurança, não têm ligação direta à internet, viajando de acordo com rotas pré-estabelecidas e sempre em comunicação com um sistema central de gestão de frotas.”

A Transdev indicou que mais de dois milhões de passageiros já foram transportados e percorridos 350 mil quilómetros, pelo que a Transdev assume-se como líder mundial na operação de serviços de mobilidade autónoma partilhada.

A experiência da operadora francesa na área do transporte autónomo vem desde 2005, ano em que a Transdev celebrou o primeiro contrato comercial do mundo, em Roterdão, na Holanda, onde uma frota de veículos autónomos garante a deslocação de passageiros entre uma estação de metro e um bairro comercial.

Em França, depois de iniciar o primeiro grande projeto, em 2014, para assegurar deslocações no centro da cidade de La Rochelle, a Transdev tem vindo a desenvolver e implementar diversas soluções na área da mobilidade autónoma partilhada, tendo em 2016 iniciado o primeiro contrato comercial em França para transportar os funcionários da EDF para uma central nuclear da empresa.

No último ano, os veículos autónomos operados pela Transdev passaram também a transportar, em estrada aberta, os funcionários do parque empresarial Icade Rungis para os restaurantes locais, tendo este ano iniciado o transporte de passageiros no centro da cidade de Verdun.

Agora há a possibilidade de uma experiência em Lisboa num dos autocarros autónomos, pelo que nos dias 13 e 14, das 11h00 às 19h00, o veículo estará em exposição na Central Tejo. No dia 13, quinta-feira, entre as 18h00 e as 20h00, decorrerá a viagem inaugural, reservada a participantes no Lisbon Mobi Summit, num percurso a realizar entre o cais fluvial de Belém e a Central Tejo. No sábado e no domingo, dias 15 e 16, esta experiência de mobilidade estará disponível, gratuitamente, ao público em geral.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!