Boeing anuncia novo centro aeroespacial e de veículos autónomos

Boeing anuncia a criação de uma nova unidade de investigação e desenvolvimento reunindo equipas de engenharia para acelerar o desenvolvimento de soluções de mobilidade. O centro fica instalado no Campus misto do MIT e deverá arrancar em 2020.

0
Boeing estabelece novo centro aeroespacial e de veículos autónomos, em Cambridge, Massachusetts
Boeing estabelece novo centro aeroespacial e de veículos autónomos, em Cambridge, Massachusetts © Boeing

A Boeing anunciou ontem, 1 de agosto, os planos para um novo Aerospace & Autonomy Center, em Cambridge, Massachusetts, tornando-se a primeira empresa de grande dimensão a instalar-se no campus do Massachusetts Institute of Technology (MIT), em Kendall Square.

O novo centro vai albergar funcionários da Boeing e da subsidiária Aurora Flight Sciences, que se vão dedicar a projetar, construir e a desenvolver tecnologias ligadas a aeronaves e a veículos autónomos.

O investimento no novo centro segue-se à recente criação do Boeing NeXt. Esta nova organização reúne investigadores e projetos em toda a empresa para moldar o futuro das viagens e dos transportes, incluindo o desenvolvimento de um sistema de gestão de espaço aéreo de última geração para permitir a coexistência segura de veículos pilotados e de veículos autónomos. O centro vai ajudar a desenvolver novas tecnologias de apoio aos programas da Boeing NeXt.

“A Boeing está a liderar o desenvolvimento de novos veículos autónomos e futuros sistemas de transporte que vão trazer o voo para perto de casa”, referiu Greg Hyslop, diretor de tecnologia da Boeing. “Ao investir neste novo centro de investigação, estamos a criar um centro onde nossos engenheiros podem colaborar com outros engenheiros e parceiros de investigação da Boeing em todo o mundo e alavancar o ecossistema de inovação de Cambridge.”

A construção da nova instalação de investigação faz parte da ampla estratégia do MIT para promover a vibrante e a diversidade na Kendall Square, que é muitas vezes referida como a mais inovadora por metro quadrado do mundo. Através da Iniciativa Kendall Square, a universidade vai construir seis prédios para abrigar um conjunto de laboratórios de investigação, escritórios, residências e espaço comercial.

“É apropriado que a Boeing se junte à família de inovação Kendall / MIT”, referiu o reitor do MIT, Martin Schmidt, e acrescentou: “os nossos interesses em investigação estão interligados há mais de 100 anos e temos trabalhado juntos para promover tecnologias e sistemas aeroespaciais que mudam o mundo”.

Martin Schmidt explicou: “O Departamento de Aeronáutica do MIT é o mais antigo de seu tipo nos Estados Unidos e destaca-se por desenvolver novos conceitos de transporte aéreo, sistemas autónomos e pequenos satélites através de um foco intenso em educação e investigação de ponta. A presença da Boeing criará uma oportunidade sem precedentes para novas sinergias neste setor.”

Os investigadores do centro Aurora Flight Sciences em Kendall Square vão mudar-se para o novo centro, pois “a equipa de Kendall Square da Aurora já está a construir sistemas autónomos inovadores”, referiu John Langford, fundador da Aurora Flight Sciences, CEO e ex-aluno do MIT.

John Langford referiu ainda que “expandindo o relacionamento de 30 anos do Aurora com o MIT e trabalhando com a Boeing, estamos a criar um espaço colaborativo onde engenheiros, estudantes e investigadores podem trabalhar juntos para criar tecnologias que definirão o próximo século de mobilidade aérea”.

O novo acordo baseia-se num relacionamento de um século entre a Boeing e o MIT para promover a inovação aeroespacial. No ano passado, a empresa anunciou seu papel como principal patrocinador de um projeto de 18 milhões de dólares para substituir o Wright Brothers Wind Tunnel, do MIT.

A Aurora Flight Sciences, uma empresa da Boeing, de tecnologia inovadora que trabalha na criação de aeronaves mais inteligentes com recurso ao desenvolvimento de sistemas autónomos versáteis e intuitivos.

Operando na interseção entre tecnologia e aviação robótica, a Aurora aproveita o poder da autonomia para tornar o voo tripulado e não tripulado mais seguro e eficiente. Com mais de 550 funcionários opera em seis locais, incluindo centros de investigação e desenvolvimento em Cambridge, Massachusetts, e Luzern, na Suíça; instalações de fabricação em Bridgeport, West Virginia e Columbus, Mississippi; e escritórios em Dayton, Ohio e Mountain View, na Califórnia.

A Boeing é a maior empresa aeroespacial do mundo e líder no fabrico de jatos comerciais e sistemas de defesa, espaço e segurança. Um dos principais exportadores dos EUA, a empresa oferece suporte às companhias aéreas e aos clientes governamentais dos EUA e dos aliados em mais de 150 países. Os produtos da Boeing e os serviços personalizados incluem aeronaves comerciais e militares, satélites, armas, sistemas eletrónicos e de defesa, sistemas de lançamento, sistemas avançados de informação e comunicação, além de formação e logística.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!