Carnaval de Podence aprovado como Património Cultural Imaterial da Humanidade

A candidatura “Festas de Inverno: Carnaval de Podence” para inscrição na Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade foi hoje aprovada pelo Comité do Património Cultural Imaterial da UNESCO.

0
Carnaval de Podence aprovado como Património Cultural Imaterial da Humanidade
Carnaval de Podence aprovado como Património Cultural Imaterial da Humanidade. Foto: © Rosa Pinto

O Comité do Património Cultural Imaterial, da UNESCO, aprovou, hoje, 12 de dezembro, a inscrição de “Festas de Inverno: Carnaval de Podence” na Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade. A decisão ocorreu durante a 14ª sessão do Comité, reunido em Bogotá, Colômbia.

O Carnaval de Podence é uma prática social integrada nas festividades de Inverno em Trás-os-Montes, associadas à celebração do fim do inverno e à chegada da primavera. Ao longo de três dias, os Caretos, vestidos com trajes cobertos com franjas coloridas de lã e ocultos sob máscaras de estanho ou couro, percorrem as ruas da aldeia de Podence fazendo soar os seus chocalhos e entrando nas casas dos habitantes.

O ritual funcionou inicialmente como um rito de passagem para os homens, estando atualmente reajustado ao seu contexto contemporâneo. A elaboração da candidatura “Festas de inverno: Carnaval de Podence” foi coordenada pelo Município de Macedo de Cavaleiros.

A Ministra da Cultura, Graça Fonseca, em comunicado, indicou já ter felicitado a Associação dos Caretos de Podence e o Município de Macedo de Cavaleiros, por esta prestigiada distinção. Graça Fonseca considera que “os portugueses, em especial os transmontanos, estão, mais uma vez, de parabéns por saberem manter viva uma das suas mais ricas tradições culturais”.

Graça Fonseca refere em comunicado que “esta classificação, que muito honra todo o país, distingue culturalmente a região, mas contribui também para reforçar um ativo patrimonial e turístico que excede os limites do território do nordeste transmontano”. Uma distinção que “resulta de um trabalho desenvolvido, desde 2014, pelas entidades proponentes da candidatura com o objetivo de valorizar e promover as tradições locais”.

Com mais esta inscrição nas Listas da Convenção da UNESCO para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial passam a oito os elementos portugueses inscritos nas Listas da Convenção da UNESCO para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial. Os outros elementos são:

“Fado, canção urbana popular de Portugal” em 2011;
“Dieta Mediterrânica” em 2013;
“Cante Alentejano, canto polifónico do Alentejo, sul de Portugal” em 2014;
“Falcoaria, património vivo da humanidade” em 2016;
“Produção de Figurado em Barro de Estremoz” em 2017;
“Manufatura de chocalhos” em 2015;
“Processo de Confeção da Louça Preta de Bisalhães” em 2016.

Para Graça Fonseca estão ainda de parabéns outros países com quem Portugal tem grandes afinidades culturais, como Cabo Verde que vê a Morna ser aprovada como Património Imaterial da Humanidade e Verde e o Brasil com a dança tradicional Bumba Meu Boi, típica da região no Maranhão, também a passar para a lista de Património Imaterial da Humanidade.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!