Centro Unesco inaugurado em Beja

Centro Unesco para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial é inaugurado em Beja, e tem como objetivo, entre outros, inventariar práticas e saberes culturais, promover o Cante Alentejano e implementar o programa UNESCO ‘Tesouros Humanos Vivos’.

0
1
Partilhas
Cante Alentejano
Cante Alentejano. Foto: Ana Baião

O Centro Unesco para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial em Beja (CEUSPCI) é inaugurado no dia 12 de Julho. Este Centro Unesco ao ficar instado no interior do país assume uma grande importância dada a crescente debilidade demográfica do interior, em particular do Alentejo.

A criação deste Centro é também uma reacção positiva contra o abandono e mesmo a desertificação do interior de serviços por parte de instituições públicas, e traduz uma vontade da população do Alentejo que “pretende projectar uma sociedade para o futuro ancorada nas práticas e memórias que os patrimónios imateriais evocam.”

A inauguração do Centro Unesco, no dia 12 de julho, abrange um conjunto de atividades com inicio às 9h00, com um atelier ‘Artes e Ofícios d’Antigamente’ para crianças. Às 18h00 no edifício do antigo Clube Bejense, Rua do Sembrano é o momento da cerimónia oficial.

Terá ainda lugar a apresentação da exposição fotográfica Cante: Alma do Alentejo da fotojornalista Ana Baião e um apontamento musical a cargo das Vozes Búlgaras Angelite e Cantadores do Desassossego que atuam no mesmo dia, pelas 22h00, na Praça da República, com a participação de António Zambujo.

Centro Unesco para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial vem da vontade expressa em protocolo, de 6 de Julho de 2016, entre Município de Beja e a UNESCO, e do envolvimento de entidades parceiras “como a Direção Regional de Cultura do Alentejo, o Centro Nacional de Cultura, a Fundação Aga-Khan, o CENA – Sindicato dos Músicos, dos Profissionais do Espectáculo e do Audiovisual, a MODA – Associação do Cante Alentejano e a Confraria Gastronómica do Alentejo”. Todos com o mesmo empenhamento em “salvaguardar e promover as várias manifestações do património cultural intangível.”

O Centro Unesco surge também num momento em que houve mais inscrições portuguesas na Lista Representativa da UNESCO e o “Património Cultural Imaterial ganha um espaço de reconhecimento cada vez mais amplo na consciência colectiva”, e ao CEUSPCI cabe “assumir a missão de potenciar essa consciência, procurando a sua integração no trajeto de vida das populações.”

O CEUSPCI assume os objetivos de proceder “à inventariação de práticas e saberes populares, à promoção o Cante Alentejano e outras manifestações musicais tradicionais e à implementação do programa UNESCO ’Tesouros Humanos Vivos’, valorizando os portadores de memória e sabedoria de inegável valor universal.”

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz