Clévio Nóbrega distinguido por investigação na doença de Machado-Joseph

Artigo de investigação de Clévio Nóbrega sobre doença de Machado-Joseph em que se fortalece a possibilidade da proteína 'ataxina-2' poder combater a doença é reconhecido com prémio da Sociedade Portuguesa de Genética Humana.

0
1
Partilhas
Clévio Nóbrega distinguido por investigação na doença de Machado-Joseph
Clévio Nóbrega distinguido por investigação na doença de Machado-Joseph. Foto: © DR

Num artigo já publicado na revista científica ‘Brain’, Clévio Nóbrega, investigador do Centro de Investigação em Biomedicina (CBMR) da Universidade do Algarve (UAlg), em conjunto com outros investigadores, coloca a hipótese de que a proteína ‘ataxina-2’, uma proteína que apresenta uma função celular importante, se encontre reduzida na doença de Machado-Joseph.

Os investigadores colocam a hipótese de que a reposição dos níveis de proteína ‘ataxina-2’ possam alterar a progressão da doença e até contribuir para uma melhoria do doente.

A doença de Machado-Joseph (DMJ) é uma doença hereditária, sem cura até ao momento, e é caracterizada pela “descoordenação motora, atrofia muscular e rigidez dos membros”, provocando, como esclarece o investigador, “dificuldades na deglutição, na fala e na visão”.

O artigo com o título ‘Reestablishing Ataxin -2 downregulates translation of mutant ataxin-3 and alleviates Machado-Joseph disease’ foi considerado pela comunidade científica de grande valor no contexto do estudo sobre a doença, levando a Sociedade Portuguesa de Genética Humana a reconhecer Clévio Nóbrega com o seu prémio anual.

Clévio Nóbrega tem vindo a trabalhar na área da neurociência, particularmente na aplicação de terapia genética a doenças neurodegenerativas.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz