Comunicar ciência em três minutos, um desafio na UMinho

Durante três minutos os concorrentes ao concurso de comunicação científica, FameLab, vão poder provar os dotes de comunicadores e os conhecimentos de ciência, em Braga. Os concorrentes vencedores passam à fase seguinte do concurso.

0
Universidade do Minho
Universidade do Minho. Foto: DR

No concurso de comunicação científica, o FameLab, os concorrentes têm três minutos para apresentar um tema científico à escolha, e sem qualquer apoio de audiovisuais. O conteúdo, a clareza, o carisma e o talento do comunicador são critérios-chave que o júri tem em conta na avaliação.

O FameLab é aberto a qualquer pessoa com maiores de 18 anos, e apenas não são aceites profissionais em comunicação de ciência. O concurso é considerado o mais famoso na área da comunicação científica do mundo, e vai ter uma realização regional no dia 9 de fevereiro, organizado pela Escola de Ciências da Universidade do Minho (UMinho) e pelo ‘Curtir Ciência’ do Centro Ciência Viva de Guimarães.

O concurso decorre pelas 15h00, no auditório B2 do campus de Gualtar, em Braga, com doze concorrentes a apresentarem um tema de ciência até três minutos. Os quatro melhores candidatos vão poder repetir a performance num evento FNAC e, mais tarde, em março, estar presente na semifinal nacional do FameLab, no Porto.

No Porto o júri vai apurar doze concorrentes para a final nacional que decorre em abril, em Lisboa, onde o vencedor irá representar Portugal na final mundial, marcada para junho em Cheltenham, Reino Unido.

O concurso FameLab foi criado em 2005 pelo Festival de Ciência de Cheltenham e está presente em mais de 30 países. Em Portugal, a iniciativa é promovida pelo British Council e pela Ciência Viva, Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica, em parceria com as universidades portuguesas e os Centros de Ciência Viva, que assegurarão as eliminatórias regionais, de Braga ao Algarve.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!