Crianças não têm acompanhamento por médicos dentistas

Mais de metade das crianças portuguesas menores de seis anos não visitou o médico dentista. Uma consulta até aos doze meses é fundamental para estabelecer um programa preventivo de saúde oral, alertam os dentistas no dia Mundial da Criança.

0
Crianças não têm acompanhamento por médicos dentistas. Foto: DR

A Associação Best Quality Dental Centers (BQDC) alerta, no âmbito do Dia Mundial da Criança, que se assinala hoje, dia 01 de junho, que ter dentes saudáveis em idade infantil é fundamental para uma amentação correta, aprendizagem fluída da fala e para o desenvolvimento de uma saúde oral sem problemas em idade adulta, sendo por isso fundamental levar o seu filho ao dentista”.

Dados apresentados pelo Barómetro da Saúde Oral, da Ordem dos Médicos Dentistas de 2017, mostram que, em Portugal, 60,6% das crianças menores de seis anos nunca tinha sido submetidas a consulta a médico dentista.

Para João Braga, médico dentista e membro da BQDC, “a primeira visita ao médico dentista deve acontecer logo que nasça o primeiro dente decíduo (de leite), que normalmente ocorre entre os seis e doze meses de idade, de forma a estabelecer um programa preventivo de saúde oral e a intercetar hábitos que possam ser prejudiciais.”

O médico referiu que “a consulta no médico dentista não é menos importante que a consulta no pediatra. Apesar do pediatra ou médico de família fazerem uma avaliação do estado de saúde oral, esta é sempre superficial, principalmente pela limitação de meios técnicos (instrumentos, iluminação, entre outros).”

“Mesmo antes da primeira consulta da criança no médico dentista cabe aos pais efetuar uma higienização adequada da boca do bebé, devendo, a grávida, questionar o seu médico dentista sobre os cuidados a ter relativamente à higiene oral do seu filho”, esclareceu João Braga, e acrescentou: “Estes pequenos gestos, que parecem insignificantes, têm realmente impacto no crescimento oral da criança e naquilo que será a sua saúde oral em idade adulta.”

Para o especialista “é preciso aconselhar os pais das crianças em relação ao flúor, às técnicas de higiene oral, à prevenção de cáries, ao controlo dos açúcares na alimentação e ao uso da chupeta. Tudo isto influencia a saúde oral e tem de ser visto e avaliado cuidadosamente, caso a caso.”

A BQDC está representada, em Portugal e Espanha, desde 2012, tendo sido criada em 2017 a Associação BQDC Portugal, da qual fazem parte 11 clínicas que congregam um vasto número de profissionais de saúde oral. A Associação, através dos filiados, defende a qualidade, ética, aposta na formação contínua, inovação e oferta dos melhores tratamentos e cuidados de saúde oral.

A Associação BQDC tem vindo a promover a divulgação e a importância da prevenção na saúde oral, nomeadamente nas crianças, cuja higiene e responsabilidade depende dos pais e educadores.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!