Despesa em Investigação e Desenvolvimento não cresce na União Europeia

Despesas em Investigação e Desenvolvimento na União Europeia não verificam crescimento, situando-se, em 2016, nos 2,03 % do Produto Interno Bruto. Em Portugal a despesa foi de 1,27%, ou seja, de 2.348 milhões de euros.

0
1
Partilhas
Trabalhos de laboratório
Trabalhos de laboratório. Foto: DR

O Eurostat, gabinete de estatísticas da União Europeia, publicou os dados de todos os estados membros relativos a despesa em Investigação e Desenvolvimento (I&D) em 2016, e alertou que se verifica uma estagnação relativa do nível de investimento global na Europa.

Em 2016, todos os Estados-Membros da União Europeia (UE) investiram mais de 300 mil milhões de euros em I&D, uma despesa que em percentagem do Produto Interno Bruto (PIB), manteve-se estável em 2,03%. Dez anos antes, em 2006, a despesa em I&D foi de 1,76%.

Despesa em I&D na União Europeia, em percentagem do PIB

Gráfico: Eurostat
Gráfico: Eurostat

A despesa da UE em I&D, em percentagem do PIB, foi muito inferior ao da Coreia do Sul que em 2015 foi de 4,23%, do Japão que em 1015 foi de 3,29% e dos e Estados Unidos que foi de 2,79%, em 2015. O investimento da China situou-se nos 2,07%, em 2015, e o da Rússia nos 1,10%, em 2015 e da Turquia em 0,88%, em 2015.

A UE colocou como objetivo aumentar a despesa em I&D de forma atingir em 2020 a percentagem de 3% do PIB, no entanto verifica-se que apenas dois Estados-Membros, a Suécia com 3,25% e a Áustria 3,09%, já superam a meta Europeia. A Alemanha com 2,94%, a Dinamarca com 2,87% e Finlândia com 2,75%, são os que se encontram mais próximo.

Os Estados-Membros que registaram menor percentagem de despesa em I&D em relação ao PIB foi a Letónia com apenas 0,44%, a Roménia com 0,48%, Chipre com 0,50% e Malta com 0,61%. Portugal com 1,27% está ainda abaixo da média europeia que foi de 2,03%.

Despesa em I&D, em percentagem do PIB, por país, em 2016

Gráfico: Eurostat
Gráfico: Eurostat

A despesa total em I&D em Portugal foi de 2.348 milhões de euros em 2016 o que mostra um aumento em relação aos últimos anos, ou seja, o valor de 2016 supera os níveis de despesa em I&D registados em 2015 em 114 milhões de euros, mostrando que a despesa em I&D aumentou mais de 5%, no entanto este aumento não teve o mesmo reflexo em termos de percentagem do PIB.

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, indicou que “o crescimento da despesa em I&D é particularmente expressivo no setor privado, já que a despesa nesse setor cresce mais de 8% entre 2015 e 2016, isto é, 90 milhões de euros, atingindo cerca de 1.162 milhões de euros em 2016, era 1.072 milhões de euros em 2015.”

Na UE, o setor de empresas continua a ser o principal setor em que as despesas em I&D foram gastos, representando 65% das despesas em I&D em 2016, seguido do setor de ensino superior com 23%, do setor governamental com 11% e o setor privado sem fins lucrativos com 1%.

Em Portugal as empresas consumiram 48% despesas em I&D, o setor de ensino superior com 45%, do setor governamental com 5% e o setor privado sem fins lucrativos com 2%.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz