Detidos 6 suspeitos de grupo criminoso de fraude intracomunitária de IVA

Desmantelado grupo criminoso envolvido em fraude intracomunitária de IVA. Detidos 6 suspeitos e acusados 32 indivíduos portugueses e paquistaneses. Os criminosos terão não pago IVA a Portugal no montante superior a 4 milhões de euros.

0
Detidos 6 suspeitos de grupo criminoso de fraude intracomunitária de IVA
Detidos 6 suspeitos de grupo criminoso de fraude intracomunitária de IVA. Foto: DR

A Guarda Nacional Republicana portuguesa (GNR), apoiada pela Guarda Civil espanhola (Guardia Civil) e pela Europol, desmantelou um grupo de crime organizado envolvido em fraudes transfronteiriças de IVA.

Em 7 e 8 de julho, agentes policiais realizaram 142 buscas domiciliares, sendo 135 em Portugal e 7 em Espanha, e prenderam 6 suspeitos, enquanto 18 empresas e 32 indivíduos de origem paquistanesa e portuguesa foram indiciados por participarem do processo de esquema criminoso.

Os agentes apreenderam durante a ação registos de documentação contabilística, aproximadamente 20.000 euros em dinheiro e joias no valor de 45.000 euros.

A Europol explicou que os suspeitos criaram um esquema complicado para simular entregas intracomunitárias com IVA zero. As infraestruturas criminosas foram baseadas em comerciantes e empresas de conduítes com sede em Espanha e em Portugal.

Ao não pagar o IVA às finanças portuguesas, os suspeitos conseguiram obter uma margem de 23%, que é a taxa do IVA em Portugal. Eles usaram essa margem para baixar o preço dos produtos que vendiam no mercado negro, principalmente alimentos e bebidas alcoólicas. Essa margem adquirida ilegalmente proporcionou-lhe vantagens ilegais sobre seus concorrentes no mercado aberto. Além disso, as perdas de impostos são estimadas em mais de 4 milhões de euros.

A Europol apoiou a investigação desde o início, facilitando o intercâmbio de informações e fornecendo suporte analítico. Durante o dia de ação, a Europol enviou dois funcionários para Portugal para apoiar os investigadores em campo com análises em tempo real das informações operacionais nas bases de dados da Europol. O suporte técnico também foi fornecido através da extração de dados armazenados nos dispositivos móveis.

Dinheiro das fraudes afeta os cidadãos contribuintes

A fraude intracomunitária de comerciantes ausentes não afeta apenas governos, mas todos os cidadãos. Os bilhões de euros que as quadrilhas do crime organizado fraudam dos contribuintes através desse esquema fraudulento estão a roubar os cidadãos dado que afetam o financiamento de serviços públicos vitais. No caso de um crime transfronteiriço, por definição exige uma luta eficaz com operações coordenadas internacionalmente, reunindo os Estados-Membros afetados, a Europol e outras entidades.

A Europol lembrou que criou recentemente o Centro Europeu de Crimes Financeiros e Económicos (EFECC) para aumentar as sinergias entre investigações económicas e financeiras e fortalecer a sua capacidade de apoiar as autoridades policiais no combate efetivo a essa importante ameaça criminosa.

A Europol indicou que a fraude intracomunitária é uma prioridade da União Europeia para o período 2018-2021 na sua luta contra o crime organizado.

Atividades criminosas em expansão

Os esquemas tradicionais da fraude intracomunitária envolvem mercadorias como metais preciosos, telefones celulares ou itens eletrónicos portáteis de alto valor. Os grupos de crime organizado mais prejudiciais transformaram suas atividades em mercados intangíveis, como os setores ambiental e energético.

A atividade não é um crime de “colarinho branco” sem vítimas que afeta apenas governos, no entanto. Ao privar os Estados-Membros da UE da receita tributária, os criminosos estão efetivamente a roubar aos cidadãos da UE os meios para os governos financiarem o fornecimento de infraestruturas, como escolas e hospitais, bem como serviços públicos vitais. Os criminosos das fraudes costumam usar seus lucros para financiar outras formas de criminalidade, como contrabando de cigarros ou tráfico de droga.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!