Dia Mundial dos Oceanos celebrado com debate transmitido online

Centro de Comunicação dos Oceanos promove debate sobre Alterações Climáticas/Previsão dos Oceanos” no Museu de História Natural, em Lisboa, com apoio da UNESCO e do Instituto Camões. O debate é transmitido online dia 8 de junho às 18h00.

0
Dia Mundial dos Oceanos celebrado com debate transmitido online
Dia Mundial dos Oceanos celebrado com debate transmitido online. Foto: © Rosa Pinto

O Dia Mundial dos Oceanos é assinalado com um debate no Museu de História Natural, em Lisboa, com transmissão online devido à pandemia de COVID-19. O Centro de Comunicação dos Oceanos quer tornar Portugal num polo de comunicação e partilha de informação atualizada sobre o oceano para todo o universo da lusofonia.

O tema do debate, que decorre no dia 8 de junho, pelas 18h00, é “The Ocean Decade: Alterações Climáticas/Previsão dos Oceanos” e tem a organização do Centro de Comunicação dos Oceanos e o apoio da UNESCO, através da Comissão Oceanográfica Intergovernamental (COI).

O debate será realizado no formato livestream, com transmissão para todo o mundo, em especial para o universo da lusofonia, e decorre no Museu Nacional de História Natural e da Ciência, em Lisboa. Para o efeito o Museu vai abrir portas propositadamente no dia 8 de junho para receber os oradores e técnicos que assegurem a realização e transmissão online da palestra.

Os oradores convidados para o debate são a investigadora principal do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), Fátima Abrantes, doutorada em Oceanografia Geológica-Paleoceanografia, e João Vitorino, oceanógrafo responsável no Instituto Hidrográfico pela rede de monitorização do Canhão Submarino da Nazaré.

Esta iniciativa é do Centro de Comunicação dos Oceanos, uma ONG portuguesa, e insere-se numa série especial de palestras promovida pela instituição, sob o título “CCOceanos: Década do Oceano”, reunindo oradores portugueses e dos vários países de língua oficial portuguesa, via livestream remoto. A divulgação internacional das palestras é assegurada através das plataformas digitais da Comissão Oceanográfica Intergovernamental da UNESCO (COI-UNESCO) e do Instituto Camões, parceiro institucional desde 2019.

Trata-se da segunda palestra da série especial promovida pelo Centro de Comunicação dos Oceanos (que tem outros eventos na sua programação anual) no âmbito do que geralmente se designa por “Década do Oceano”. No final de 2017, as Nações Unidas proclamaram a realização da Década Internacional da Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável, para o período de 2021 a 2030, lembrando que os oceanos são “os reguladores mais poderosos do clima”.

Nysse Arruda, jornalista náutica e fundadora e curadora do centro de Comunicação dos Oceanos (CCOceanos), explicou que as palestras têm como objetivo apresentar e debater diversos temas relacionados com a iniciativa da ONU, “tornando assim Portugal num polo de comunicação e partilha de informação atualizada e conhecimento sobre o oceano”.

O apoio da UNESCO, através da Comissão Oceanográfica Intergovernamental, traduz-se na identificação e seleção de temas para as palestras e na divulgação internacional dos links que fazem parte da videoteca da CCOceanos disponíveis no seu canal da rede social YouTube.

De acordo com Vinicius Grunberg Lindoso, responsável de comunicação da COI-UNESCO, a colaboração atual com a organização portuguesa CCOceanos surgiu da vontade de aumentar o número de ações informativas sobre o oceano e sobre a proclamação da ONU junto do público português e dos cidadãos do universo lusófono. O objetivo é “construir um maior entendimento das questões que serão abordadas na 2ª Conferência da ONU sobre os oceanos em Lisboa”. Um evento inicialmente marcado para decorrer na capital portuguesa de 2 a 6 de junho, mas que foi, entretanto, adiado para 2021 devido ao atual quadro de crise pandémica mundial.

Além da recente renovação da parceria institucional com o Instituto Camões, o CCOceanos conta ainda com o apoio de diversas entidades nacionais e internacionais. Entre as primeiras incluem-se Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a Casa da América Latina, a União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA), o Centro Nacional de Cultura (CNC), o Instituto Hidrográfico, a Academia das Ciências de Lisboa, os Ministérios do Mar e do Ambiente, e a Câmara Municipal de Lisboa. No grupo das entidades internacionais estão as organizações não governamentais Marine MegaFauna Foundation, de Moçambique, e a Onda Verde e a Liga das Mulheres pelos Oceanos, do Brasil.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!