DST Group vai construir central fotovoltaica em estrutura flutuante no concelho de Cuba

Primeira central fotovoltaica de grande dimensão numa estrutura flutuante, em Portugal, vai ser construída no concelho de Cuba, em Beja. O concurso público lançado pela EDIA – Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva foi ganho pelo DST Group.

1
DST Group vai construir central fotovoltaica em estrutura flutuante no concelho de Cuba
DST Group vai construir central fotovoltaica em estrutura flutuante no concelho de Cuba. Foto: © Rosa Pinto

A EDIA – Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva lançou concurso público para a construção de uma Central Fotovoltaica em Cuba, no distrito de Beja, tendo o DST Group, através das participadas DST, SA e DST Solar, ganho o concurso. O Grupo DST vai para além do projeto de execução e da empreitada de construção, vai ficar ainda responsável pela operação e manutenção da central pelo prazo de três anos, após a entrada em exploração.

A empreitada no montante de 1.055.646 euros, inclui a instalação de 3024 painéis fotovoltaicos, numa área de 10.200 m2, para uma produção de 1.735.981kWh. Esta vai ser a primeira instalação de 1MW em estrutura flutuante numa estação elevatória a ser construída em Portugal. Em exploração é estimado que vá permitir a redução da pegada de carbono em 816 toneladas por ano.

José Teixeira, presidente do Conselho de Administração do Grupo DST, indicou que a obra assume particular relevância por ser, entre outras razões, o primeiro projeto fotovoltaico a ser implementado numa estrutura flutuante em Portugal.

“Estamos muito entusiasmados com este projeto, porque se trata de uma empreitada com um enquadramento de construção muito particular, que assenta pela primeira vez em território nacional a execução de uma central fotovoltaica num piso flutuante”, referiu o presidente do Grupo DST.

“Está no nosso ADN sermos pioneiros e sermos primeiros, daí o entusiasmo”, afirmou José Teixeira, e ainda acrescentou: “Trata-se também de um projeto ambientalmente responsável, que permitirá a redução da emissão de 816 toneladas de dióxido de carbono, por ano. No nosso grupo abraçamos com particular afinco esta área da sustentabilidade ambiental, na qual temos, de resto, investido nos últimos anos, e acredito, por isso, que a execução deste projeto por parte do consórcio DST Solar/DST, SA é o resultado do empenho e do esforço diário no desenvolvimento de soluções competitivas e que acrescentam valor ao mercado.”

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

1 Comentário

recente antigo mais votado
anajoaomartins

Esse feito não pertence à DST. A primeira instalação Fotovoltaica flutuante em Portugal é da EDP instalado pela Energia em Conserva e Ciel & Terre há dois anos na barragem do alto Rabagao. http://www.energiaemconserva.com/portfolio/projeto-7/