Engarrafamentos e semáforos são risco para a saúde

Engarrafamentos e semáforos aumentam a poluição do ar, e é causa de morte de motoristas e peões. O estudo foi desenvolvido por cientistas da Universidade de Surrey.

0
Engarrafamentos e semáforos são risco para a saúde.
Trânsito congestionado na autoestrada britânica M6. Foto: © DR

Os níveis de poluição dentro dos carros sobem mais de 40% em situações de engarrafamento ou quando permanecem em filas devido a paragens motivadas por semáforos, em comparação com os níveis que se verificam numa situação de tráfego fluido.

Fechar as janelas do carro, e desligar o ventilador do ar exterior e o sistema de ar condicionado, quando em situações de tráfego intenso, conduz a uma redução de 76% na concentração de poluentes no interior da viatura. O ar circula apenas internamente pelo ventilador sem ser alimentado pelo ar poluído do exterior.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) colocou a poluição do ar entre os dez maiores riscos para a saúde que os serem humanos enfrentam. A poluição do ar é responsável por sete milhões de mortes prematuras por ano.

No Reino Unido, milhões de motoristas foram aconselhados a fechar as janelas e a desligar os sistemas de ar condicionado, em caso de engarrafamentos, para evitarem respirar níveis perigosamente elevados de ar poluído.

Investigação recente desenvolvida na Universidade de Surrey, Inglaterra, mostrou que quando se está sentado num carro durante um engarrafamento, os ocupantes da viatura podem ser afetados significativamente devido a uma exposição a gases tóxicos que pode ir até aos 76%.

Em engarrafamentos, ou em filas de carros devido a semáforos vermelhos, a investigação mostrou que, ao fechar as janelas do carro e desligar o ventilador, é conseguido um nível mais baixo de exposição a poluentes. O mesmo acontece se o sistema de ar condicionado apenas usar a recirculação do ar interior do carro e não introduzir ar exterior poluído.

No estudo, os cientistas verificaram que, quando as janelas do carro são fechados mas o ventilador se mantém ligado, a exposição é normalmente muito mais elevada, devido ao facto do ar no exterior do veículo ser geralmente muito mais poluído em comparação com o ar no interior. Quando se liga o ventilador o ar é sugado de fora para dentro, resultando num aumento de poluentes no interior do carro.

Os resultados também mostraram que quando os veículos param devido aos semáforos, os diferentes ciclos de condução, tais como marcha lenta, aceleração e desaceleração, aumentam a poluição no exterior. Assim, quando uma série de veículos está em fila devido aos semáforos, as emissões poluentes aumentam e demoram mais tempo a dispersar-se, especialmente nas cidades.

A OMS classificou em outubro de 2013 a poluição do ar como sendo tão cancerígena para os seres humanos como o tabagismo, em fevereiro de 1985.

Prashant Kumar, investigador da Universidade de Surrey, refere: “Sempre que possível, se as condições meteorológicas o permitirem, uma das melhores maneiras de limitar a exposição ao ar poluído é manter as janelas fechadas, o ar condicionado desligado e aumentar a distância ao carro da frente em situação de engarrafamento ou quando se encontra parado nos semáforos”.

O investigador indica ainda que “se precisar de ligar o ventilador ou o aquecedor, a melhor forma é coloca-lo a recircular o ar dentro do carro sem alimentação de ar a partir do exterior. Melhorar no futuro a eficiência dos sistemas de filtragem de veículos poderá reduzir a exposição dos ocupantes aos poluentes”.

A OMS refere, em relatório apresentado em Londres, que a poluição do ar mata 10 vezes mais do que os acidentes de viação, com um número estimado de 3,7 milhões de mortes prematuras em 2012.

O problema da poluição do ar também é predominante em toda a Europa. Em 2012, mais de 400 mil mortes prematuras foram atribuídas às partículas finas, e a situação não é muito diferente em outras partes do mundo, incluindo nos EUA, onde a exposição aos poluentes ambientais é a oitava causa de morte.

O grupo de investigadores liderados por Prashant Kumar da Universidade de Surrey já tinha demonstrado que motoristas ‘presos’ em engarrafamentos foram expostos até 29 vezes mais partículas de poluição perigosas do que quando circulam com um tráfego fluido.

O estudo encontra-se já publicado na revista ‘Environmental Science’, que também refere os processos e impactos da exposição dos motoristas e dos peões às micro partículas em suspensão no ar. De referir que o estudo indica que os peões também se encontram expostos a um aumento de poluição do ar quando se encontram junto a semáforos.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!