Estado de Emergência devido a COVID-19 melhora qualidade do ar

Emissões de dióxido de azoto reduziram drasticamente durante o mês de março com o Estado de Emergência, devido a COVID-19. O aumento de qualidade do ar diminui a probabilidade de problemas respiratórios. Lisboa teve reduções de 80%.

0
Estado de Emergência devido a COVID-19 melhora qualidade do ar
Estado de Emergência devido a COVID-19 melhora qualidade do ar. Situação no dia 10 de março e no dia 28 de março

A monitorização das emissões de dióxido de azoto (NO2) em Portugal e Espanha ao longo do mês de março de 2020 pelo AIR Centre mostra um efetivo aumento do nível da qualidade do ar durante o período de Emergência Nacional devido à pandemia de COVID-19.

Esta redução de NO2 é particularmente benéfica pois reduz os riscos das pessoas com doenças respiratórios virem a ver o seu estado agravado devido a grandes concentrações de NO2.

É conhecido que a inalação por dióxido de azoto está relacionada com o aumento da probabilidade de problemas respiratórios, uma vez que em altas doses pode inflamar o revestimento dos pulmões e reduzir a imunidade a infeções pulmonares, causando problemas como tosse, constipações e bronquite.

Os dados recolhidos e a análise realizada mostra um dos impactos esperados da situação de emergência em que vivemos, uma vez que o NO2 é gerado sobretudo por emissões resultantes de setores como transportes e indústria, os quais têm sido, pelo menos parcialmente, desativados com a diminuição de trafego e a suspensão de muitas atividades comerciais e industriais.

As emissões de dióxido de azoto (NO2) têm sido quantificadas pelo Laboratório de Observação da Terra do Centro Internacional de Investigação do Atlântico – AIR Centre, através do satélite Europeu Copernicus Sentinel 5P. Através do sistema TROPOMI (Tropospheric Monitoring Instrument).

Aa imagens obtidas e processadas pelos peritos do AIR Centre entre os dias 10 e 28 de março revelam uma redução drástica nos níveis de NO2 devido à redução da atividade económica e dos níveis de mobilidade. No caso de Lisboa a redução é mais significativa, chegando aos 80% em alguns locais da capital, e no Porto a redução atinge os 60% em alguns pontos da cidade.

Dia 10 de março de 2020
Encerramentos dos museus, teatros, monumentos e atividades desportivas em áreas fechadas em Portugal
Voos para Itália suspensos por 14 dias
Dia 11 de março de 2020
Mais de 1.000 médicos voluntariam-se para reforçar o Serviço Nacional de Saúde (SNS)
OMS declarou COVID-19 como Pandemia
Anúncio que todas as escolas serão fechadas nos dias seguintes
Dia 14 de março de 2020
A Espanha inclui medidas drásticas restringindo a mobilidade dos cidadãos, exceto para o trabalho, alimentação e farmácia
Dia 16 para 18 de março de 2020
1º falecimento devido ao COVID-19 em Portugal
Implementado o controle de fronteira entre Portugal e a Espanha
Declarado Estado de Emergência em Portugal
Dia 26 de março de 2020
Tráfego aéreo diário nos aeroportos portugueses caí 87%
Banco de Portugal (BdP) alerta sobre o grave impacto económico no crescimento e no desemprego
As escolas não voltarão a abrir depois do período da Páscoa
Dia 28 de março de 2020
A política de isolamento social aparentemente contribuí para o achatamento da curva de contágio (aparecimento de novos casos que precisam de tratamento hospitalar)
Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!