Festa da Poesia em Matosinhos homenageia Manuel Alegre

Festa da Poesia em Matosinhos é já um acontecimento marcante na vida cultural da cidade. A décima quarta edição celebra Florbela Espanca e homenageia Manuel Alegre. Durante três dias uma onda de poesia invade Matosinhos.

0
Festa da Poesia em Matosinhos homenageia Manuel Alegre
Festa da Poesia em Matosinhos homenageia Manuel Alegre. Foto: DR

A décima quarta edição da Festa da Poesia decorre nos dias 6, 7 e 8 de dezembro, e celebra o dia do nascimento de Florbela Espanca, a 8 de dezembro de 1894, e lembra a data da sua morte, em Matosinhos, no dia 8 de dezembro de 1930. A Festa da Poesia, deste ano, é também uma homenagem ao poeta Manuel Alegre.

“Não sei de que cor são os navios/quando naufragam no meio dos teus braços”. Os dois versos de “Coração Polar”, de Manuel Alegre, podiam ter sido escritos a pensar nos barcos que todos os dias chegam ao Porto de Leixões e daqui partem, levando “Portugal à flor das águas”. Se o não foram, vão passar a estar, a partir de agora, imortalizados em Matosinhos, que acolhe a décima quarta edição da Festa da Poesia, indica comunicado do Município de Matosinhos.

O evento evoca Manuel Alegre e os seus poemas em várias sessões. Uma placa evocativa é descerrada na Biblioteca Municipal Florbela Espanca e também no pavimento da Rua Brito Capelo, onde versos deste autor, considerado um dos mais importantes poetas contemporâneos, vão ficar inscritos, “para contaminar de poesia o quotidiano dos matosinhenses.”

Galardoado com o Prémio Camões, Manuel Alegre “construiu uma obra ímpar em diálogo com a história e a mitologia do país, num percurso com ligações ao romance e à música. Durante três dias, a programação da Festa da Poesia vai mostrar a amplitude de horizontes da sua poesia, que será lida, contada e cantada em vários espaços da cidade.”

A Festa da Poesia tem início na manhã de dia 6, com a visita do declamador Alberto Serra ao Centro Social de Leça do Balio, para uma sessão em torno da poesia de Manuel Alegre. No dia 7 é a vez do poeta Manuel Alegre visitar a Escola Secundária da Boa Nova, em Leça da Palmeira, onde vai estar com alunos desta Escola.

A programação na Biblioteca Municipal Florbela Espanca arranca às 15h30 do dia 7, com o descerramento de uma placa comemorativa do “Poeta da Liberdade”. Pelas 15h45 terá início a sessão “Como dizer um coração fora do peito”, uma conversa sobre a relação do poeta com a música, com a presença de Joana Alegre e Maria Ana Bobone, responsáveis por alguns apontamentos musicais.

No dia 7 às 21h30 a Festa da Poesia transfere-se para o Teatro Municipal de Matosinhos-Constantino Nery, onde o ator Pedro Lamares e harpista e compositora Ana Isabel Dias apresentam o espetáculo “Um Secreto Regresso por Jacarandá”.

No dia 8, aniversário de Florbela Espanca, o evento regressa à biblioteca que evoca a poetisa. O programa começará às 15 horas, com a apresentação de “Todos os poemas são de amor”, o mais recente livro de Manuel Alegre, com a presença do autor e do escritor Mário Cláudio. Pelas 16 horas, do mesmo dia, a relação da poesia com a guerra colonial centra a conversa com Maria João Reynaud e Paula Morão.

Manuel Alegre regressa ao palco às 17 horas, para uma conversa com João Gobern, para falar da vida e obra. Entre sessões, o som dos versos do poeta da “Trova do Vento que Passa” ecoam na Biblioteca Municipal Florbela Espanca pelas vozes de Isaque Ferreira e Rui Spranger. A décima quarta Festa da Poesia despede-se às 18h30, no Salão Nobre da Câmara Municipal, com um concerto do Quarteto de Cordas de Matosinhos, acompanhado pela viola de Tatjana Masurenko e pelo violoncelo de Teresa Valente Pereira.

Para além dos marítimos “Não sei de que cor são os navios/quando naufragam no meio dos teus braços”, a Rua Brito Capelo vai acolher outros versos de Manuel Alegre, como “é tudo o que tem/quem vive na servidão”, “Os pássaros voam sobre a própria despedida”, “Quanto mais te perco mais te encontro”, “As facas ferem mais quando me faltas” e “Quero escrever um poema/Como quem escreve o momento”. Para ler bastará caminhar, indica o comunicado do Município.

Festa da Poesia 2018, Matosinhos

PROGRAMA

Atividades de antecipação do evento

No meio do caminho havia um verso. Versos em stencil na Rua Brito Capelo. Seleção de versos a partir da obra de Manuel Alegre.

1. Silêncio — é tudo o que tem / quem vive na servidão — Trova do vento que passa

2. Os pássaros voam sobre a própria despedida — Agora mesmo

3. Quanto mais te perco mais te encontro. — Teoria do amor

4. As facas ferem mais quando me faltas — As facas

5. Quero escrever um poema / Como quem escreve o momento — Balada do Poema que não Há

6. Não sei de que cor são os navios / quando naufragam no meio dos teus braços — Coração Polar

Dia 6 dezembro

11.00 | Centro Social de Leça do Balio | Visita de autor a instituição do Concelho

Sessão em instituição de solidariedade social do concelho, que terá por base a poesia, lida e dita, de Manuel Alegre. Convidado: Alberto Serra

Dia 7 dezembro

10.00 | Escola Secundária da Boa Nova | Visita do autor à escola

Sessão numa escola do concelho com a participação do autor homenageado. Esta sessão deverá ser assente no resultado dos trabalhos desenvolvidos na escola em torno da obra do autor sob o título: «Ser Alegre». Convidado: Manuel Alegre

15.30 | Biblioteca Municipal Florbela Espanca | Inauguração

Apresentação de placa comemorativa da vida e obra de Manuel Alegre que imortaliza a relação da cidade com a obra do poeta. Convidado: Manuel Alegre

15.45 | Biblioteca Municipal Florbela Espanca | Como dizer um coração fora do peito

A história de uma relação com a música ao longo dos anos, numa conversa marcada por apontamentos musicais. Convidado: Joana Alegre e Maria Ana Bobone | Moderação: Tito Couto

21.30 | Teatro Constantino Nery (auditório) | Um Secreto Regresso por Jacarandá

A música e a palavra dita — um encontro antigo, por vezes feliz, sempre delicado.

Um ator, encenador e dizedor de poesia, vindo da música. Uma harpista, compositora e estudante de guitarra portuguesa, vinda da literatura.

Chamam-lhe Jacarandá. É feito das cordas da harpa, da guitarra e da voz. Delicado como a beleza, com uma boa margem de improviso, como a vida. Criação e Interpretação de Pedro Lamares e Ana Isabel Dias.

Entrada sujeita a bilhete (custo 7,50€. Para crianças até aos 14 anos, estudantes e maiores de 65 anos: 5€, Desconto de 20% para compras superiores a 10 bilhetes)

Dia 8 dezembro

15.00 | Biblioteca Municipal Florbela Espanca | Apresentação de Todos os poemas são de amor. Apresentação do último livro de poesia de Manuel Alegre. Convidados: Manuel Alegre e Mário Cláudio | Moderação: Tito Couto. Intermezzo: leitura de poemas entre sessões. Convidado: Rui Spranger

16.00 | Biblioteca Municipal Florbela Espanca | O canto e as armas

Debate sobre a relação da poesia com a guerra colonial. A importância do Canto e as armas durante os conflitos em África. Convidados: Maria João Reynaud e Paula Morão | Moderação: Sérgio Almeida. Intermezzo: leitura de poemas entre sessões. Convidado: Isaque Ferreira

17.00 | Biblioteca Municipal Florbela Espanca | Chegar aqui — Uma vida e obra em revista

Sessão de conversa com o autor homenageado sobre a sua vida e obra. Convidado: Manuel Alegre | Moderação: João Gobern.

18.30 | Salão Nobre da Câmara Municipal | Música

Quarteto de Cordas de Matosinhos e convidados. Tatjana Masurenko — viola. Teresa Valente Pereira — violoncelo. Entrada livre.

 

 

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!