Festival “Encontros da Imagem” decorre em quatro cidades

Festival internacional de fotografia e artes visuais “Encontros da Imagem” decorre em Braga, Guimarães, Barcelos e Porto. A Universidade do Minho cede cinco espaços para o evento, incluindo a nova galeria no Largo do Paço, em Braga.

0
Festival “Encontros da Imagem” decorre em quatro cidades
Festival “Encontros da Imagem” decorre em quatro cidades. Foto: DR

O festival internacional de fotografia e artes visuaisEncontros da Imagem” decorre de 21 de setembro a 28 de outubro, e inclui 40 exposições onde participam mais de cem artistas e ocupam 17 espaços nas cidades de Braga, Guimarães, Barcelos e Porto.

A inauguração oficial do festival, dia 22, na nova galeria da Universidade do Minho, no Largo do Paço, em Braga, conta com artistas, galeristas, curadores, diretores de museus e de festivais e outros responsáveis. Na nova galeria há cinco exposições da autoria de Gloria Oyarzabal, Tamara Wassaf, Jacob Burge, Ivan da Silva e do coletivo FAMU, da República Checa.

O festival que vai já na 28ª edição é este ano dedicado ao tema “O belo e a consolação”, “aludindo à obsessão do ser humano pelo prazer e, ao mesmo tempo, à sua dificuldade em encontrar a consolação.”

Para além da nova galeria os espaços da U.Minho onde decorrem exposições são:

No centro de Braga, o Museu Nogueira da Silva acolhe a exposição “A invenção da memória”, do fotógrafo João Paulo Serafim, a ilustrar o mundo real e imaginado dos museus e dos arquivos;

O Convento de São Francisco em Real, numa parceria com a Unidade de Arqueologia, é palco das exposições. “El poder de la sombra”, de Raquel Calviño, “Oestriminis”, de José Alves, e “Ley de vida”, de Miguel Vieira Pinto, que abordam respetivamente a relação amor/dor, os mitos e a comunidade cigana;

A Biblioteca Geral em Gualtar apresenta casais seniores a dançarem felizes, da série fotográfica “Viv(r)e la vie”, de Ana Galan:

A Biblioteca da UMinho no campus de Azurém, em Guimarães, abre-se ao silêncio das ruas “de” Bruno Silva e ainda ao olhar ficcionado de Eduardo B. & Rui H. sobre o filme clássico “Profissão: repórter”, de Antonioni.

Para além das exposições o festival, que é na maior parte de entrada livre, inclui também quatro conferências, workshops, oficinas infantis, serviço educativo, ciclo de cinema com oito filmes, projeções em vários espaços, feira de antiguidades de material fotográfico e feira de editoras independentes de livros e revistas de fotografia.

Da programação faz parte, ainda, um concerto multimédia de Spectrum, no dia 21 de setembro, às 22h30, no GNRation, bem como a atribuição dos prémios Discovery, Emergentes, Prémio Internacional de Fotografia e EI Books. Os “Encontros da Imagem” são “uma referência em Portugal e um dos festivais de fotografia mais antigos e reputados da Europa.”

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!