Filme português ‘Uma vida Sublime’ distinguido na Rússia

‘Uma vida sublime’, a longa-metragem produzida Luís Diogo e por António Costa Valente, acaba de receber, na Rússia, mais uma distinção, o ‘Diploma Especial’ atribuído pela Associação Russa de Críticos de Cinema.

0
Filme português ‘Uma vida Sublime’ distinguido na Rússia

O filme ‘Uma vida Sublime’ acaba de atingir os 26 prémios, em 43 festivais, e encontra-se nomeado para mais eventos internacionais, previstos para os próximos meses, o que o torna num dos filmes portugueses mais premiados.

A última distinção desta longa-metragem produzida por Luís Diogo e por António Costa Valente, docente da Escola de Ciência e Tecnologia da Universidade de Trás-os-Montes e Alto (UTAD), foi o ‘Diploma Especial’ atribuído pela Associação Russa de Críticos de Cinema pela “Persuasão e charme de um realismo impressionante”.

A distinção atribuída ao filme português foi um dos dois prémios atribuídos pela Associação entre os 10 filmes a concurso no Bridge of Arts, International Motivational Film Festival, que decorreu em Rostov, Rússia, entre 10 e 15 de outubro, onde teve como presidente do Júri oficial o ator Eric Roberts (irmão de Julia Roberts).

O filme estreou, em 18 de outubro, nos cinemas da Rússia, após antestreias em Moscovo e São Petersburgo, “com salas cheias e sessões muito participadas”, o filme vai agora ser exibido em várias cidades da Rússia.

A estreia na Rússia decorreu “em mais de 20 salas de cinema, nas cidades de Moscovo, São Petersburgo, Rostov-on-Don, Saratov, Novosibirsk, Perm, Yekaterinburg, ou seja, um pouco por toda a Rússia, desde a capital à Sibéria, passando pelos montes Urais. Na Bielorússia o filme irá estrear na capital, Minsk.”

O filme conta a história de um médico que tendo uma “vida sublime” se vê confrontado com a tristeza, e para vencer essa condição encontra duas terapias radicais. Num caso o diagnóstico falso de cancro terminal e a outra a eliminação temporária de alguns dos 5 sentidos. Mas será que as terapias podem resultar em efeitos colaterais imprevisíveis?

‘Uma vida Sublime’ é produção conjunta da Filmógrafo e Cine Clube de Avanca, tendo esta longa-metragem sido filmada, em parte, durante o Festival de Cinema AVANCA 2016, integrando o projeto “Creative Film Workshops”, e foi ainda filmada em cidades como Castelo Branco, Paços de Ferreira, Porto e Santo Tirso.

O filme conta a história de um médico que tem uma “vida sublime” mas para quem a tristeza é verdadeiramente um problema. Inesperadamente usa métodos radicais na esperança de voltar a injetar de vida pessoas que, segundo ele, já não a desfrutam.

O Dr. Ivan encontrou duas curas radicais para a infelicidade: o diagnóstico de câncer terminal falso e a eliminação temporária de alguns dos 5 sentidos. Mas as terapias resultarão ou terão efeitos colaterais imprevisíveis?

O filme tem como protagonistas, para além de Eric da Silva, em Ivan; Rui Oliveira, em Gil; atriz Susie Filipe baterista da banda “Moonshiners” em Andreia; Jorge Mota, em Valentim; Jorge Rolla; em Leopoldo; Mafalda Banquart, em Luísa; Paulo Calatré, em Gaspar; Pedro Estorninho, em Tavares; Susana Sá, em Graciete; Teresa Chaves, em Manuela; Tiago Moreira, em Mário; Valdemar Santos, em Almeida; Ângela Marques, em Amélia, e Carolina Coelho, em Empregada do Restaurante.

Da ficha técnica fazem parte: Argumento, Luís Diogo e Elloy Correia; Assistente de Câmara, Pedro Faria; Decoração, Luís Diogo e Elloy Correia; Direcção de Arte, Luís Diogo e Elloy Correia; Direcção de Fotografia, Pedro Farate; Iluminação, Pedro Sousa; Maquilhagem, Elloy Correia; Música, DJWILD; Produção. Cine-Clube de Avanca e Filmógrafo; Produtor, Luís Diogo e António Costa Valente; Realização, Luís Diogo e Som, Álvaro Melo.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!