Fotografias dos bastidores do filme “Carga” no Mercado de Matosinhos

Bastidores do filme “Carga”, de Bruno Gascon, podem ser vistos no Mercado de Matosinhos. A partir do dia 2 de novembro, a exposição de fotografias de Luís Sistelo, permite alertar para o drama das vítimas de tráfico de seres humanos.

0
otografias dos bastidores do filme “Carga” no Mercado de Matosinhos
otografias dos bastidores do filme “Carga” no Mercado de Matosinhos

Uma exposição fotográfica sobre os bastidores do filme “Carga” está, a partir de 2 de novembro, no Mercado de Matosinhos. As fotografias, captadas por Luís Sistelo, durante os 54 dias de rodagem do filme, procuram alertar para o drama das vítimas de tráfico de seres humanos.

A exposição “Um Olhar Fotográfico sobre os bastidores do filme Carga”, é promovida pela Rede Regional do Norte de Apoio e Proteção a Vítimas de Tráfico de Seres Humanos em parceria com a Câmara Municipal de Matosinhos.

O filme “Carga”, de Bruno Gascon, onde participa a manequim de matosinhense, Sara Sampaio, estreia nas salas de cinema a 8 de novembro, e retrata o drama do tráfico de seres humanos.

A exposição, que reúne vinte das fotografias selecionadas das várias captadas por Luís Sistelo, procura dar a conhecer os bastidores do filme e sensibilizar os visitantes para o tema central do filme, vai estar disponível até 8 de novembro.

A Câmara Municipal de Matosinhos indicou, em comunicado, que a inauguração da exposição, conta, no dia 2 de novembro, com a presença da presidente da autarquia, Luísa Salgueiro, e do Relator Nacional para o Tráfico de Seres Humanos, Manuel Albano.

A visita à exposição pode ser feita individualmente ou com o apoio e o enquadramento de técnicos da Rede Regional do Norte de Apoio e Proteção a Vítimas de Tráfico de Seres Humanos, no entanto, as visitas guiadas devem ser agendadas previamente através do e-mail redetshnorte@gmail.com ou do telemóvel 918654101.

“A atroz violação dos mais elementares direitos humanos, afeta milhões de pessoas todos os anos, sendo o tráfico de seres humanos (TSH) uma realidade com impacto económico comparável ao do tráfico de armas e de droga, e Portugal não está imune”, refere o comunicado da Autarquia, e acrescenta: “Em 2016, de acordo com Observatório do Tráfico de Seres Humanos do Ministério da Administração Interna, foram sinalizadas 264 presumíveis vítimas de TSH em Portugal, representando um acréscimo 68,8% relativamente ao ano anterior. Em 2017 foram confirmadas 118 vítimas.”

A Rede de Apoio e Proteção às Vítimas de TSH, sob coordenação da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG), foi criada em 2013. Uma rede de que faz parte a Câmara Municipal de Matosinhos, e que tem “como missão combater o tráfico humano, apoiar as vítimas, sinalizar casos suspeitos e sensibilizar a comunidade para o problema.”

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!