Fundação Calouste Gulbenkian abre 2018 com…Pianomania!

Pianomania! na Fundação Calouste Gulbenkian, em janeiro, não é só música mas exibição de documentários e ficções, conferencia e uma performance. Mas são sobretudo sete concertos com pianistas de prestígio internacional.

0
Zhu Xiao-Mei: How Bach Defeated Mao
Zhu Xiao-Mei: How Bach Defeated Mao. ©Accentus Music

O piano é um dos instrumentos mais amados do público e este ano tem uma presença especial na temporada Gulbenkian Música. Ao longo do mês de janeiro terão lugar, no Grande Auditório, sete concertos com pianistas de prestígio internacional, que se apresentam tanto a solo como com a Orquestra Gulbenkian.

Performance, Joana Gama
Performance, Joana Gama. Foto: Fernando Carqueja

Para completar este ciclo, a Gulbenkian Música preparou uma programação complementar, de 13 a 22 de janeiro, que vem dar a conhecer outras perspetivas sobre o instrumento, com a projeção de filmes documentais e ficcionais, uma conferência e uma performance.

Glenn Gould
Glenn Gould ©Accentus Music

O programa arranca no sábado 13 de janeiro, às 16h00, com a exibição do filme Thirty-Two Short Films About Glenn Gould, em que o realizador François Girard aprofunda as principais ideias de Glenn Gould, explorando as suas paixões e a sua música. O filme é construído em 32 partes que descrevem a vida de Glenn Gould desde a sua infância até aos 50 anos de idade, momento em que o pianista nos deixou.

No dia seguinte, domingo, 14 de janeiro, a partir das 10h00, a pianista portuguesa Joana Gama apresenta, ao longo de 14 horas, uma performance em torno da obra Vexations, de Erik Satie. A estreia desta obra decorreu em 1963 em Nova Iorque, foi organizada por John Cage, grande admirador e divulgador da música de Satie e durou cerca de 18 horas. Onze pianistas (entre eles o próprio John Cage, David Tudor e John Cale) tocaram de forma intercalada até completarem a obra, mas nos últimos anos já vários pianistas se aventuraram a tocar a obra completa.

O Pianista
O Pianista ©Accentus Music

Roman Polanski é o realizador do filme que, em 2003, venceu os Óscares de Melhor Realizador, Melhor Ator (Adrien Brody) e Melhor Guião Adaptado (Ronald Harwood), assim como a Palma de Ouro do festival de Cannes. O Pianista, que a Gulbenkian Música apresenta no Grande Auditório na segunda, 15 de janeiro, às 18h, apresenta-nos a história verídica do pianista polaco Wladyslaw Szpilman, que interpretava peças clássicas numa rádio de Varsóvia quando as primeiras bombas caíram sobre a cidade, em 1939. O filme mostra o surgimento do Gueto de Varsóvia e acompanha a perseguição que levou à captura e envio da família de Szpilman para os campos de concentração.

A programação paralela de Pianomania! retoma no domingo, 21 de janeiro, com uma tarde dedicada à descoberta de uma das mais aclamadas pianistas dos nossos tempos, a chinesa Zhu Xiao-Mei. A música, especialmente a de Bach, tornou possível à pianista lidar com os piores desafios da sua existência. Zhu Xiao-Mei sofreu na pele as consequências do regime de Mao e da revolução Cultural: anos de endoutrinação e “reeducação”, trabalho de campo, família devastada, privações e perseguições. Em 1980, a pianista emigra finalmente para Paris, que se torna a sua nova casa.

O primeiro documentário sobre a pianista, Zhu Xiao-Mei: How Bach Defeated Mao, de Paul Smaczny, é exibido às 15h00 e narra a história do seu regresso à China quando já é reconhecida internacionalmente pela sua interpretação da obra de Bach, 35 anos depois de deixar o seu país. Às 16h tem lugar uma conversa com Michel Mollard, amigo íntimo de Zhu Xiao-Mei e realizador de um filme sobre a pianista, premiado no Festival Internacional de Filmes de Arte de Montreal em 2014. Por fim, será ainda exibido, às 16h30, o documentário J.S. Bach – Goldberg Variations – Zhu Xiao-Mei, de Paul Smaczny.

O piano
O piano ©Accentus Music

O programa paralelo de Pianomania! encerra no dia 22 de janeiro com a projeção, às 18h00, de outro filme igualmente premiado na Academia do Óscares e vencedor da Palma de Outro de Cannes em 1994, O Piano, da realizadora Jane Campion. Ada McGrath (Holly Hunter), uma mulher que, aos seis anos de idade, decidiu parar de falar, muda-se para a Nova Zelândia na companhia da sua filha Flora (Anna Paquin). Aí tem que lidar com um casamento arranjado com Stewart e com a recusa do seu marido em transportar o seu amado piano para casa. Stewart negocia o instrumento e passa-o para George Baines (Harvey Keitel), um administrador da região, que se sente atraído por Ada.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!