Investigação em fogos florestais com orçamento de 15 milhões de euros

Fundação para a Ciência e a Tecnologia abre o primeiro de três concursos para financiar projetos de Investigação em fogos florestais, e até 2019 são lançados mais dois concursos, num total de 15 milhões de euros.

0
Incêndio florestal
Incêndio florestal. Foto: Rosa Pinto

A Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) abriu hoje, dia 28 de dezembro, o primeiro concurso para projetos de investigação orientados para a prevenção e combate de incêndios florestais. Este concurso de 2017 prevê o financiamento até 5 milhões de euros, mas a FCT prevê lançar mais um concurso em 2018 e outro em 2019.

Os três concursos, num total de 15 milhões de euros, estão enquadrados no Programa mobilizador de I&D para a prevenção e combate de incêndios florestais, na sequência das recomendações do relatório da Comissão Técnica Independente que investigou os incêndios de Pedrógão Grande.

O concurso agora a decorrer, em que as candidaturas podem ser entregues até 28 de fevereiro de 2018, “tem com objetivo promover a investigação científica e a inovação, fortalecendo competências e capacidades científicas e técnicas, garantindo a apropriação e incorporação de conhecimento científico no apoio à decisão em sistemas operacionais, assim como a produção de novos conhecimentos orientados para a solução de problemas”.

Áreas de investigação abrangidas pelo concurso

1. Governação dos recursos florestais; Restauro pós-fogo e gestão florestal; Modelos de ordenamento e silvicultura preventiva; Modelos de organização e gestão das áreas florestais, nas vertentes de proteção, conservação, silvopastorícia, recreio, lazer e produção; gestão e valorização da biomassa nos espaços rurais;

2. Gestão do fogo e comportamento de fogos extremos; Atitudes e comportamentos face à prevenção e combate de incêndios e a gestão do território; Saúde e segurança ocupacional dos técnicos de combate;

3. Meteorologia, previsão e gestão do risco, incluindo deteção de ignições e otimização de alertas precoces e desenvolvimento de sistemas de observação inteligente e de apoio à decisão; Sistemas de sensorização, de informação e de comunicações de emergência e sua integração nos processos de decisão.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!