Investigador Rui L. Reis recebe prémio internacional em engenharia médica

Investigador, Rui L. Reis, distinguido com ‘Harvey Engineering Research Award’, um dos maiores prémios internacionais em engenharia médica. Os 400 mil euros do prémio vão ser usados na criação de modelos inovadores e funcionais de cancro em 3D.

0
1
Partilhas
Rui L. Reis, distinguido com ‘Harvey Engineering Research Award’
Rui L. Reis, distinguido com ‘Harvey Engineering Research Award’. Foto: DR

A Institution of Engineering and Technology (IET) distinguiu com o ‘Harvey Engineering Research Award’, um dos maiores prémios internacionais, o investigador, Rui L. Reis, vice-reitor da Universidade do Minho (UMinho) para a Investigação e Inovação e diretor do grupo 3B’s – Biomateriais, Biodegradáveis e Biomiméticos.

O prémio, no valor de cerca de 400 mil euros, vai permitir a Rui L. Reis levar a cabo a criação de “modelos inovadores e funcionais de cancro em 3D, que possam ajudar a prever a eficácia de medicamentos, evitando o recurso a diversos testes em animais e alguns ensaios clínicos.”

A IET possui 170 mil membros de 150 países e o ‘Harvey Engineering Research Award’, que atribui, é um dos maiores prémios internacionais na área da Engenharia. Os investigadores são pré-selecionados ao prémio por um júri internacional, não havendo qualquer candidatura individual.

Rui L. Reis foi selecionado pelo júri do prémio devido “às suas contribuições notáveis e às décadas de investigação de excelência na área da engenharia de tecidos 3D para novos terapias regenerativas e para o desenvolvimento de modelos de doença”.

Os 400 mil euros do prémio vão “apoiar mais cinco anos de investigação”, em que o “objetivo é criar uma plataforma única de engenharia de tecidos que permita a criação de microambientes de cancro em 3D. Estes microambientes podem ser usados como modelos funcionais de doença para testar medicamentos contra o cancro, que ainda estão a ser concebidos pela indústria farmacêutica, bem como experimentar terapias inovadoras, ainda em fase de ensaios pela comunidade médica.”

O cancro é a terceira causa de morte em todo o mundo e Rui L. Reis indicou, citado em comunicado da UMinho, que “um dos maiores obstáculos que os cientistas ligados ao desenvolvimento e à avaliação de novos fármacos e terapias contra o cancro enfrentam é o facto de os modelos pré-clínicos serem incapazes de prever, de uma forma fiável, se um determinado fármaco vai atuar contra o cancro e, ao mesmo tempo, ter uma toxicidade aceitável no organismo humano”.

John O’Reilly, presidente do comité de seleção para o ‘Harvey Engineering Research Award’ referiu que a atribuição do prémio a Rui L. Reis é o “reconhecimento do seu notável percurso de investigação e impressionante recorde de publicações na área da engenharia de tecidos e medicina regenerativa”, e acrescentou: “A investigação desenvolvida pelo premiado e pela sua equipa pode acelerar a avaliação de novos medicamentos e a aprovação de novos tratamentos para o cancro.”

O ‘Harvey Engineering Research Award’ tem o nome do engenheiro Arthur Frank Harvey, “que doou uma quantia generosa ao IET para um fundo dedicado à promoção da investigação científica nos domínios da engenharia médica, engenharia de micro-ondas, engenharia laser e engenharia de radares”. O prémio é atribuído de três em três anos a cada uma das áreas, de engenharia, cabendo este ano, e pela terceira vez, à engenharia médica.

Na cerimónia de entregue da distinção, a 20 de março de 2018, na IET, em Savoy Place, Londres, Rui L. Reis profere a palestra “Eng The Cancer”. Este é o terceiro prémio internacional de grande relevo com que é reconhecido o professor e investigador da UMinho, tendo recebido o prémio da “Tissue Engineering and Regenerative Medicine International Society” (TERMIS) e o “UNESCO Life Sciences Award”.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz