Jardim das Delícias de Bosch pela Companhia Marie Chouinard, no CCB

Integrado no Ciclo Hieronymus Bosch, O Jardim das Delícias pela Companhia Marie Chouinard, nos dias 18 e 19 maio às 21h00 no Grande Auditório do centro Cultural de Belém. Uma coreografia em três atos criada a partir do célebre tríptico.

0
Jardim das Delícias de Bosch pela Companhia Marie Chouinard, no CCB
Jardim das Delícias de Bosch pela Companhia Marie Chouinard, no CCB. Foto: DR

“Tal como um coreógrafo pode começar a criar a partir de uma peça musical, eu decidi começar a partir de um quadro de Bosch. E tal como um coreógrafo pode escolher cingir-se a uma partitura musical (ou não), eu decidi cingir-me ao quadro de Bosh, ao seu espírito. A alegria de nos curvarmos diante de uma obra-prima!”, Marie Chouinard 2016.

Após um longo percurso iniciado em 1978, em que se dedicou à criação de peças a solo, Marie Chouinard funda, em 1990, a sua companhia. Logo no seu primeiro trabalho, Les Trous du Ciel, de 1991, e no seguinte, de 1993, The Rite of Spring, com música de Stravinski, ficam expostas as preocupações, os interesses e as experiências que irão marcar uma linguagem muito pessoal.

Nesta, a representação do corpo humano vai ganhando múltiplas dimensões na sua relação com a dinâmica do gesto, recorrendo ao vídeo, à voz, à poesia visual, a próteses (como em Body-remix / Goldberg-variations, de 2005), à manipulação em tempo real de som e imagem. Chouinard lança mão destas experiências artísticas como hipóteses de descoberta do “paradoxo da vida, na qual a beleza e a violência podem ocorrer ao mesmo tempo”.

Nesta peça a partir do Jardim das Delícias, de Bosch, Chouinard procede a uma leitura virtuosa da pintura, em que a história da humanidade parece atravessar os corpos dos bailarinos, pondo em evidência o limite da representação figurativa nos movimentos coreográficos.

 

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!