João Dias e Pedro Carvalho no Top 10 final do CNTT depois da Raide Paraíso de Góis

SGS Car Racing conquista 2º lugar no 25º Raide Paraíso Todo-o-Terreno de Góis. Os pilotos João Dias e Pedro Carvalho terminam a temporada no Top 10 final do Campeonato Nacional Todo-o-Terreno na categoria SSV.

0
João Dias no Top 10 final do CNTT depois da Raide Paraíso de Góis
João Dias no Top 10 final do CNTT depois da Raide Paraíso de Góis. Foto: DR

A SGS Car Racing terminou a participação na temporada de 2018 do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno (CNTT) com um excelente 2º lugar no 25º Raide Paraíso Todo-o-Terreno que se disputou em pistas de Góis e Arganil. Apesar dos pilotos terem pontuado de forma diferente na derradeira prova da temporada do CNTT, ambos figuram no Top 10 final da supercompetitiva categoria SSV.

Na prova de Góis, João Dias imprimiu desde o prólogo e ao longo dos 213,8 km de prova um andamento muito rápido e consistente o que permitiu o seu melhor resultado na equipa ao vencer o último troço e a conquistar o segundo lugar absoluto entre SSV, a 1m02s do vencedor da corrida. Um furo no seu CanAm, a 25km do fim da competição, retirou-lhe a possibilidade do primeiro lugar.

“Esta prova foi muito positiva, foi o melhor resultado que fiz na equipa e estava a tudo encaminhado para conseguir a vitória em Góis que nos fugiu devido a um furo já perto do fim da corrida. As provas são mesmo assim. De qualquer forma, foi uma prova bem disputada sem percalços significativos, o que nos fez terminar a época com um bom resultado no CNTT”, referiu João Dias.

Pedro Carvalho no Top 10 final do CNTT depois da Raide Paraíso de Góis
Pedro Carvalho no Top 10 final do CNTT depois da Raide Paraíso de Góis. Foto: DR

Por sua vez o piloto Pedro Carvalho, aos comandos de CanAm Maverick X3, e navegado por André Guerreiro, era um dos candidatos ao título de vice-campeão SSV mas em Góis não começou da melhor maneira a jornada beirã e acabaria por, devido a diversos contratempos, ser forçado a abandonar após ter feito 12 km do terceiro e último setor seletivo.

No prólogo Pedro Carvalho imprimiu um andamento forte, mas um pequeno erro fez com que o SSV capotasse, pelo que partiu para o segundo dia de prova, em que se cumpriam três passagens pelo setor seletivo de 67km, do último posto e com uma penalização de 30 minutos.

No segundo dia, uma pedra entre o disco do travão e a jante fizeram com que a dupla com o número 351 perdesse bastante tempo. Resolvido o problema ainda conseguiu partir para o terceiro setor seletivo, determinada em recuperar posições, mas ao km 12, tudo se complicou: uma correia partida e problemas com a travagem do carro não lhes permitiu continuar. Mesmo com a desistência em Góis Pedro Carvalho e André Guerreio concluíram o Campeonato na quarta posição absoluta entre os SSV.

No final da prova Pedro Carvalho explicou: “Saímos de Góis com um sabor amargo. A nossa prestação nesta prova foi muito atribulada e condicionada desde início por diversos fatores. Não é o resultado que estávamos à espera, já que tínhamos em vista a conquista do vice-campeonato. De qualquer forma, conseguimos um 4º lugar no CNTT, o que para nós é muito positivo. Queríamos ter feito melhor, mas não foi possível.”

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!