Lesões da cartilagem estudadas em Leiria

Projeto inovador, com forte componente tecnológica, para prevenir e tratar a osteoartrite, envolve o Centro Hospitalar de Leiria e o Politécnico de Leiria. O projeto liderado pelo IPLeiria é financiado pelo Portugal 2020.

0
51
Partilhas
Trabalhos de laboratório
Trabalhos de laboratório. Foto: DR

O Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Portugal 2020 acaba de aprovar um projeto de investigação conjunto do Centro Hospitalar de Leiria (CHL) e do Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria) para a prevenção e tratamento de lesões da cartilagem ou degeneração articular.

O projeto 2Bio4Cartilage tem uma forte componente tecnológica, e envolve engenharia aplicada à saúde. No projeto estão os serviços de Ortopedia 1 e 2 e o Centro de Investigação do Centro Hospitalar de Leiria (CI/CHL) e o Centro para o Desenvolvimento Rápido e Sustentado do Produto, do Politécnico de Leiria (CDRSP/IPLeiria).

Do projeto faz parte “um programa de intervenção integrado para prevenção e tratamento de lesões da cartilagem e uma abordagem multidisciplinar ao problema da degeneração articular”, e “é composto por um programa de exercício físico para redução da dor e aumento da independência funcional dos doentes”, bem como “da otimização da engenharia de biomateriais e bioprocessos para próteses articulares mais adequadas”.

O 2Bio4Cartilage tem também como “objetivo geral a sensibilização do público para o problema da degeneração articular”. No projeto vão trabalhar nove investigadores para tratar e prevenir a osteoartrite, um problema com grande prevalência.

João Morais, coordenador do Centro de Investigação do Centro Hospitalar de Leiria, referiu, citado em comunicado, que “são cinco os projetos aprovados em consórcio com o Politécnico de Leiria, estando ainda em apreciação projetos conjuntos com outras entidades, um passo importante para a afirmação do CHL como entidade não empresarial do sistema de I&D”.

A osteoartrite é uma condição crónica que afeta mais de 250 milhões de pessoas em todo o mundo, e tem um impacto significativo nos cuidados de saúde e na sociedade. Segundo o estudo ‘Global Burden of Disease’, da Organização Mundial da Saúde (OMS), a osteoartrite do joelho é a 11.ª principal causa de deficiência, e apresenta uma tendência crescente.

Comunicado do CHL indica que “a osteoartrite pode danificar qualquer articulação no corpo humano, e é mais comum nas articulações da anca, joelhos, mãos e coluna vertebral. Todos os anos mais de 50 milhões de pessoas recorrem ao médico por causa de dor nas articulações, metade deles com problemas ao nível da cartilagem articular.”

Pedro Morouço, investigador do CDRSP/IPLeiria que lidera o projeto na área da engenharia, explica, citado em comunicado, que “as doenças relacionadas com a cartilagem estão na lista de principais preocupações da OMS, assumindo-se a prevenção da degeneração da cartilagem articular como uma importante questão de saúde para a qual existem poucas soluções eficazes.”

O investigador esclarece ainda que para a degeneração da cartilagem, “que afeta milhões de pessoas em todo o mundo, contribuem fatores como o envelhecimento, a obesidade, deficiências nutricionais e a inatividade física”, que são “problemas primários para a sociedade Portuguesa, e que estão diretamente associados a grande número de doenças reumáticas.”

Para Pedro Morouço “é obrigatório ter perspetivas e abordagens de intervenção integrada multidisciplinares, e é por isso que o 2Bio4cartilage envolve as dimensões de prevenção e tratamento”.

O projeto tem a duração de 18 meses, com inicio em setembro, um financiamento de 150 mil euros do Programa Portugal 2020, e envolve o IPLeiria, como líder, o CHL, e os Politécnicos de Coimbra e Santarém.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz