Marinha aumenta 45 mil Km2 ao projeto do mapeamento do Mar Português

    Navio hidrográfico da Marinha, NRP D. Carlos I, acrescentou mais de 45 mil quilómetros quadrados ao projeto do mapeamento do mar Português, nos Açores. Foi feito ainda o levantamento de áreas costeiras e portuárias.

    0
    Marinha aumenta 45 mil Km2 ao projeto do mapeamento do Mar Português
    Marinha aumenta 45 mil Km2 ao projeto do mapeamento do Mar Português. Foto: Marinha

    O navio hidrográfico da Marinha, o NRP D. Carlos I, acaba de realizar mais 45 mil quilómetros quadrados de mapeamento do mar do arquipélago dos Açores. Uma dimensão de mapeamento equivalente a mais de 6 milhões de campos de futebol.

    O NRP D. Carlos I iniciou esta campanha LH Açores 2019, em 15 de julho, e no âmbito do Mapeamento do Mar Português no arquipélago dos Açores, foram executadas duas fases distintas com a duração de 28 dias de operação no mar:

    levantamento hidrográfico com sonar multifeixe dos montes submarinos, a sul da Ilhas das Flores (referentes a ecossistemas ricos e de particular relevância), e enquadrada na cooperação com a Universidade dos Açores. Foram sondados 6 montes submarinos com sonares de médios e grandes fundos (de grande resolução) num total de 3.560 quilómetros quadrados;

    levantamento hidrográfico com sonar multifeixe, a Sudoeste da Ilha das Flores, numa zona remota para além da Zona Económica Exclusiva (ZEE) dos Açores, no âmbito da colaboração com a Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental.

    Marinha alarga mapeamento do Mar Português

    Dados da Marinha indicam que com recurso a duas Brigadas Hidrográficas foi realizado o levantamento de áreas portuárias e costeiras nas Ilhas de São Jorge, Flores e Corvo para atualização cartográfica.

    Com o levantamento, no âmbito de um projeto em colaboração com o Governo Regional dos Açores, foi elaborada a carta náutica do Porto da Casa, Ilha do Corvo, e foram obtidos dados de excelente resolução dos portos da Calheta e Velas, em São Jorge, e das Lajes, na Ilha das Flores. Também foram obtidos dados da área costeira da Ponta dos Rosais, na Ilha de São Jorge, e de todo o perímetro em redor da Ilha do Corvo.

    O navio D. Carlos I procedeu no grupo ocidental à sondagem de 44,8 quilómetros quadrados, tendo-se percorrido 750 quilómetros de fiada, e no grupo central 22 quilómetros quadrados, tendo-se percorrido 465 quilómetros de fiada. As equipas da Marinha realizaram também trabalhos de topografia em novas infraestruturas portuárias e diversos edifícios de Marinha.

    Durante a missão nos Açores do navio D. Carlos I, foram aumentados mais 45.475 quilómetros quadrados de mar sondado ao Projeto de Mapeamento do Mar Português, foi reforçado o Dispositivo Naval Permanente na Zona Marítima dos Açores (ZMA), desenvolvida a cooperação no âmbito técnico-científico com o Governo Regional dos Açores e a Universidade dos Açores, e realizada a colaboração com a Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental (EMEPC) bem como com o Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR) da Universidade do Porto.

    O navio da Marinha D. Carlos I possui uma guarnição de 38 militares, e embarcou, nesta missão aos Açores, duas equipas da Brigada Hidrográfica composta por oito elementos e dois observadores de cetáceos do Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR). O regresso do D. Carlos I, a Lisboa, está previsto para 27 de agosto.

    Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

    Deixe um comentário

    Ainda sem comentários!