Mochila escolar, uma escolha nem sempre fácil

Decisão na escolha de mochila, no regresso às aulas, deve ser ponderada em função de caraterísticas ergonómicas que assegurem o bem-estar, previna dores nas costas e diminua riscos para a criança. O alerta é da campanha ‘Olhe Pelas Suas Costas’.

0
1
Partilhas
Jovem com mochila (imagem de arquivo)
Jovem com mochila (imagem de arquivo). Foto: DR

Dada a aproximação do regresso às aulas, a campanha ‘Olhe Pelas Suas Costas’ coordenada pelo neurocirurgião Paulo Pereira, e com apoio científico da Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral, da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, da Sociedade Portuguesa de Neurocirurgia, da Sociedade Portuguesa de Medicina Física e de Reabilitação e da Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia, vem alertar a população para a importância de escolher a mochila escolar “em função das suas caraterísticas ergonómicas e sensibiliza os pais para a utilização correta deste acessório.”

De entre diversos fatores a ter em conta no momento da decisão de compra de uma mochila, o tamanho, o peso e o material da mochila devem estar presentes. Estes fatores são, entre outros, determinantes para assegurar o bem-estar da criança e prevenir as dores na coluna, provocadas, muitas vezes, pelo peso exagerado e má utilização da mochila escolar.

Para o coordenador da campanha, “escolher uma mochila com base nos ‘bonecos’ que as crianças mais gostam ou nas tendências da ‘moda’ pode significar uma má escolha.”

Para ajudar os pais e as crianças a fazer a escolha certa da mochila escolar de forma a minimizar os riscos para a coluna vertebral, no seu transporte diário, a campanha ‘Olhe Pelas Suas Costas’ faz algumas recomendações:

A mochila deve ter duas alças largas bem acolchoadas.
O peso da mochila, já com os livros e material, não deve ultrapassar 10% do peso corporal da criança/jovem.
A mochila deve ser utilizada de forma simétrica nos dois ombros.
Deve ficar centrada a meio da coluna (alargar o comprimento da alça para retirar a mochila mais facilmente não é aconselhado).
O material mais pesado deverá ser colocado junto ao corpo para evitar alterações na postura.
Especialmente em mochilas com bolsas laterais, o peso do conteúdo deve ser distribuído de forma simétrica
Se o percurso até à escola for longo e sem escadas, uma mochila com rodas é vantajosa para diminuir o esforço. Noutros casos não é tão aconselhada.
A mochila deve conter apenas o material necessário para o dia em questão.

O neurocirurgião Paulo Pereira alerta ainda que “para além destes aspetos inerentes à escolha da mochila escolar, que são muitas vezes ignorados, o aumento progressivo do peso do material escolar a que temos assistido nos últimos anos é uma situação preocupante e que deve ser combatida por todos, a começar pelos pais e pelos educadores em prol da saúde das gerações mais jovens.”

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

wpDiscuz