Morreu Manuel Jorge Veloso, músico, compositor e crítico de jazz

Ministra da Cultura, Graça Fonseca, lamentou a morte de Manuel Jorge Veloso, lembrando que o compositor, crítico e professor de jazz, tem o nome indissociável da história do jazz em Portugal.

0
Morreu Manuel Jorge Veloso, músico, compositor e crítico de jazz
Morreu Manuel Jorge Veloso, músico, compositor e crítico de jazz. Foto: © Rosa Pinto

Manuel Jorge Veloso nasceu em Lisboa, em 1937, foi cofundador nos anos 60 do Quarteto do Hot Clube de Portugal, o primeiro grupo português com atividade exclusiva e regular na área do jazz. Notabilizou-se como baterista e atuou com diversos músicos de jazz nacionais e internacionais, como Jerome Richardson, Julius Watkins, Chet Baker ou Milt Jackson, tendo integrado o Quarteto de Dexter Gordon no I Festival Internacional de Jazz de Cascais, em 1971.

A Ministra da Cultura, Graça Fonseca, lamentou a morte de Manuel Jorge Veloso e lembra que “é importante recordar também o seu trabalho como produtor de programas de música clássica e de jazz na RTP, onde integrou a Comissão Diretiva de Programas e o Departamento de Programas Musicais”.

Desde os anos 1960 que Manuel Jorge Veloso foi autor e apresentador de vários programas de rádio dedicados ao jazz, em estações como o Rádio Clube Português, a Rádio Renascença e a Antena 2. Na sua atividade de divulgação e crítica na área do jazz, foi autor de vários artigos publicados na Capital e no Diário de Notícias, e manteve desde 2007, o blog “O Sítio do Jazz”.

Manuel Jorge Veloso trabalhou como compositor nas bandas sonoras de vários filmes e documentários, como “Belarmino”, de 1964, ou “Uma abelha na chuva”, de 1972, ambos de Fernando Lopes, e “Pedro Só”, de 1971, de Alfredo Tropa.

O divulgador de jazz foi ainda professor na Escola de Cinema do Conservatório Nacional e secretário-geral da Academia de Amadores de Música.

A Ministra da Cultura lembra que “ao longo de mais de cinquenta anos de carreira, Manuel Jorge Veloso contribuiu de forma indelével para a divulgação e afirmação do jazz em Portugal, enquanto compositor, crítico e professor, sendo o seu nome indissociável da história deste género em Portugal”.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!