Mosteiro de S. Salvador de Travanca, em Amarante, torna-se hotel em 2023

Jean-Claude Frederic Frajmund, de nacionalidade francesa, ganha concessão do Mosteiro de S. Salvador de Travanca, em Amarante, por 50 anos, para fins turísticos. A concessão, no âmbito do Programa Revive, prevê a instalação de hotel em 2023.

0
Mosteiro de S. Salvador de Travanca, em Amarante, torna-se hotel em 2023
Mosteiro de S. Salvador de Travanca, em Amarante, torna-se hotel em 2023. Foto: CC/wikipédia

O Mosteiro de S. Salvador de Travanca, em Amarante, é entregue a Jean-Claude Frederic Frajmund, de nacionalidade francesa, para a instalação de um estabelecimento hoteleiro, no seguimento de concurso no âmbito do Programa Revive.

Jean-Claude Frederic Frajmund vai pagar uma renda anual de 27.618,00 euros, pela concessão do Mosteiro onde vai instalar um estabelecimento hoteleiro de 4 estrelas, com cerca de 40 quartos. Uma concessão durante 50 anos para exploração para fins turísticos.

O Mosteiro de S. Salvador de Travanca é situado no fundo de um vale e envolvido por inúmeras quintas características da região norte do país, e integra uma das mais belas torres medievais portuguesas e faz parte do percurso cultural da Rota do Românico.

O projeto turístico deverá aliar a história do imóvel e o ambiente medieval, ao conforto e sofisticação da modernidade, com uma componente de saúde e bem-estar. A abertura está prevista para o início de 2023.

Este é um dos 33 imóveis incluídos na primeira fase do Revive, um programa conjunto dos Ministérios da Economia, Cultura e Finanças com a colaboração das autarquias locais. Pretende-se com este programa valorizar e recuperar o património sem uso, reforçar a atratividade dos destinos regionais e o desenvolvimento de várias regiões do país.

Em 2019 foi já lançada a segunda edição do Revive, com a integração de 16 novos imóveis. O programa integra atualmente um total de 49 imóveis, dos quais 21 se localizam em territórios do interior.

Este imóvel é o 13.º a ser adjudicado no âmbito do Programa Revive, o qual representa já um total de 114,5 milhões de euros de investimento na recuperação de património público e cerca de 2,4 milhões de euros em rendas anuais.

Atualmente, estão abertos os concursos para a concessão do Palacete dos Condes Dias Garcia, em São João da Madeira, da Quinta do Paço de Valverde, em Évora e do Forte da Barra de Aveiro, em Ílhavo.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!