Nova tecnologia permite videojogos conectados

Equipa de investigadores desenvolveu um modelo semântico que permite trocar informações entre dois jogos. Uma tecnologia que permite às empresas de videojogos partilharem conteúdos e experiências dos jogadores entre videojogos.

0
Nova tecnologia permite videojogos conectados
Nova tecnologia permite videojogos conectados. Foto: DR

As empresas de desenvolvimento de videojogos vão ter um modelo semântico que permitir trocar informações entre dois jogos. As tecnologias foram desenvolvidas por um grupo de investigadores da Escola de Engenharia de Computação da Universidade Politécnica de Madrid, em Espanha e da Universidade de Tecnologia de Lappeenranta, na Finlândia.

O modelo semântico vai permitir que designers e empresas de videojogos troquem dados e informações reais, e dessa forma prática levar a experiências únicas de jogo com partilha de dados em simultâneo.

Os videojogos tornaram-se muito populares e amplamente adotados pela sociedade, e já deixaram de ser considerados um mero entretenimento para crianças. Hoje os videojogos são avaliados a partir de diversas perspetivas cognitivas e sociais. No entanto, a partilha de informações como ferramenta de desenvolvimento da indústria ainda é uma questão pendente entre os técnicos e empresas que os desenvolvem.

Agora, investigadores do Grupo de Engenharia de Ontologia da Universidade Politécnica de Madrid desenvolveram um novo modelo de captura de dados: a Ontologia de videojogos.

A hiperconexão resultante desta ontologia oferece inúmeras vantagens para as empresas de desenvolvimento. María Poveda, investigadora da Universidade de Madrid, envolvida no projeto, revelou: “Embora a ideia não seja nova e possamos transferir personagens e ações de um jogo para outro, a partilha de informações entre os jogos tem vindo a ser conduzida essencialmente de forma intuitiva, sem levar em conta parâmetros semânticos básicos que possam ajudar a ligar a experiência real do jogo entre jogadores”.

A Ontologia de Videojogo pode desenhar com precisão o modo de jogo de diversos personagens, elementos e cenários do jogo, trocando informações com precisão de um jogo para outro. O benefício proporcionado por esta ontologia é duplo: em primeiro lugar, a possibilidade de captar as conquistas de um determinando jogo e o comportamento real dos jogadores durante cada jogo. Em segundo lugar, permite representar metadados e estatísticas relevantes de diferentes jogos usando o mesmo modelo.

O objetivo da ontologia é capturar o conhecimento no campo dos videojogos. A ontologia traz a modelagem semântica do conhecimento de videojogos o que é um passo mais próximo da realidade, e assim levar a melhores experiências e mais imersivas do jogador.

Os investigadores indicaram que a ideia central do projeto foi a modelagem de dados resultante dos videojogos, mas a maneira pela qual esses dados podem ser transferidos não foi considerada, uma vez que a ontologia está disponível para as partes interessadas por meio de código aberto. Isso permite que os desenvolvedores e as empresas de videojogos escolham como trocar os dados obtidos.

O vocabulário desenvolvido pelos investigadores permite que a implementação da troca de informações possa ser realizada entre videojogos de diferentes empresas. É uma transferência de conteúdo do jogo no sentido mais amplo e não focado em pesquisa. É focado na interoperabilidade dos videojogos. Pela primeira vez, os jogos podem ser “superconectados” para melhorar a indústria, tanto pela visibilidade no mercado como pela experiência de jogo.

Os investigadores testaram a ontologia em três jogos: Ateroids, Coil e BrowserQuest. Neste caso mostraram que os dados dos videojogos podem ser capturados e trocados durante a utilização e jogos diferentes. Devido à possibilidade de capturar uma grande quantidade de dados, a interoperabilidade permite modelar as informações a serem usadas pelo setor de videojogos para desenvolvimento futuro.

Moría Poveda conclui: “o design da Ontologia de Videojogo e sua publicação em código aberto vão permitir que os diversos atores envolvidos no desenvolvimento dos videojogos participem da validação da ontologia, a fim de melhorar o desenvolvimento do setor de videojogos através da partilha de conhecimento e de informação.”

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!