O 25 de Abril e a Avenida da Liberdade

Yánis Varoufákis, ex-ministro das finanças da Grécia desfilou na Avenida da Liberdade, em Lisboa, no 25 de Abril. Mas houve outros temas nacionais e internacionais que também desfilaram, como: 'Pensões dignas', 'Lula da Silva', ou a 'Síria'.

0
O 25 de Abril e a Avenida da Liberdade
O 25 de Abril e a Avenida da Liberdade. Foto: Rosa Pinto

A Avenida da Liberdade em Lisboa figura como um espaço que todos os anos, no dia 25 de abril, reflete o estado económico, social e político do país. Ponto de encontro de cidadãos – de alguns cidadãos – que todos os anos repetem a caminhada da Praça Marquês de Pombal até à Praça D. Pedro IV (Rossio).

Faixas de partidos políticos e algumas palavras de ordem – algumas mais audíveis, com recurso a amplificadores. É notória a presença de partidos da designada esquerda política. Sindicatos, Associações, mas também grupos ou movimentos de cidadãos, que expressam um tema da sociedade nacional ou do mundo.

É sobretudo através de pequenas frases que se verifica o reflexo da sociedade pela Avenida da Liberdade: “Pensões Dignas – Envelhecer com direitos”, “Prostituição é violência contra as mulheres”, “Exercer os direitos – participar em igualdade”, “Sintra em luta por uma política patriótica e de esquerda”, “Discriminação não, sim à igualdade de direitos”, “Devolução de tudo que nos foi roubado – paz, pão, habitação, saúde, educação. Em luta por outro 25 de Abril”.

Nos últimos anos, tal como hoje, os imigrantes passaram a ter cada vez mais presença, com mais faixas, cartazes e palavras de ordem: “Imigrantes contra a escravatura”, “Ninguém é ilegal, Somos Pessoas, merecemos respeito! Queremos direitos!”, “Os imigrantes descontam 316 milhões para a Segurança Social!”.

Os temas internacionais com maior impacto mediático, também desfilam pela Avenida , como: “Lula livre” ou “Paz para a Síria”.

Da Grécia veio Yánis Varoufákis, ex-ministro das finanças grego, que desfilou segurando a faixa do Movimento Democracia na Europa 2025.

 

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!