Ombros: tratamento de lesão da coifa dos rotadores

Há diversas causas para dores dos ombros. A lesão da coifa dos rotadores - conjunto de músculos e tendões que envolvem a articulação do ombro - pode ser de diversos graus e o seu tratamento exigir cirurgia e durar longos períodos.

0
Ombros: tratamento de lesão da coifa dos rotadores
Ombros: tratamento de lesão da coifa dos rotadores. Foto: © Rosa Pinto

Em determinados períodos do ano podemos ser levados a determinadas atividades que exigem diferentes esforços e sermos surpreendidos de seguida com dores nos ombros. Uma das origens das dores pode ser uma lesão da coifa dos rotadores – conjunto de músculos e tendões que envolvem a articulação do ombro.

O médico-cirurgião ortopédico da Mayo Clinic em Rochester, Minnesota, EUA, descreve-nos um possível quadro de tratamento quando a pessoa sente dor no ombro e não consegue levantar objetos a que estava habituada a fazer.

As pessoas podem lesionar a coifa dos rotadores (manguito rotador) de várias maneiras, por isso é difícil saber se essa é realmente a principal fonte de problemas no ombro. Em algumas pessoas, uma lesão definitiva ou acidente leva a uma rutura da coifa dos rotadores. Em outros, a dor pode aumentar lenta e gradualmente com o tempo. Uma lesão definitiva normalmente ocorre quando alguém tenta levantar um objeto pesado acima do nível da cabeça ou se os braços são fortemente esticados. A coifa dos rotadores também pode ser lesada durante uma queda ou acidente.

Em geral, os problemas da coifa dos rotadores produzem três sintomas principais: dor no ombro, menor mobilidade do ombro e fraqueza. Embora cada um desses sintomas ocorra em algum grau na maioria dos pacientes, nem todas as pessoas com rutura da coifa dos rotadores apresentam os três sintomas.

Quando há lesão da coifa dos rotadores, geralmente há dor na região lateral ou externa do ombro, ao redor do músculo deltoide. Esse tipo de dor geralmente é pior ao tentar levantar o braço acima do nível da cabeça ou ao levantar qualquer objeto com os braços afastados do corpo.

Outras lesões no ombro também podem causar sintomas semelhantes. Por exemplo, lesões comuns como tendinite do bíceps, lesões da articulação acromioclavicular e artrite. Pacientes com tendinite do bíceps geralmente têm dor na parte frontal do ombro, e os com lesões na articulação acromioclavicular geralmente têm dor na parte superior do ombro.

Compreender a origem da dor permite diferenciar entre esses problemas e a dor da coifa dos rotadores. Se a pessoa sentir dor na parte lateral ou externa do ombro, tiver menos amplitude de movimento em parte do ombro e tiver dificuldade para levantar objetos, então pode ter uma lesão da coifa dos rotadores. Muitas vezes, pode ser uma tendinite leve, que melhora com o repouso após alguns dias. No entanto, se os sintomas forem graves ou persistirem por mais de uma ou duas semanas deve ser consultado um médico. O diagnóstico de rutura da coifa dos rotadores geralmente é feito com base nos sintomas, no exame físico e, possivelmente, em algumas imagens, como raios-X ou ressonância magnética.

Ao diagnosticar um paciente com lesão da coifa dos rotadores, a pergunta mais frequente é se a intervenção cirúrgica será necessária. Se for diagnosticada uma lesão da coifa dos rotadores, o tratamento pode variar dependendo da gravidade da lesão.

Na maioria dos pacientes com tendinite, que é uma inflamação do tendão da coifa dos rotadores, sem rutura completa, mas com dor e outros sintomas, a situação geralmente melhora sem intervenção cirúrgica. Os tipos mais comuns de tratamento para isso são medicamentos anti-inflamatórios, aplicação regular de gelo no ombro, modificação da atividade (evitando levantar objetos pesados ​​ou acima da cabeça) e fisioterapia.

Em pacientes com rutura total do tendão, a situação é um pouco mais complicada. Em alguns casos de rutura completa, se a rutura for pequena ou o paciente apresentar um risco relativamente baixo, a cirurgia ainda pode ser evitada. O plano de tratamento para essas pessoas é o mesmo das alternativas mencionadas para a tendinite. Embora a fisioterapia não conserte uma pequena rutura, ela pode otimizar o desempenho de outros músculos ainda intactos ao redor do ombro para permitir que eles compensem o trabalho do tendão que sofreu uma pequena rutura.

Em pacientes ativos com rutura completa do tendão, a cirurgia pode ser ideal, pois é a maneira mais previsível e bem-sucedida de restaurar a função.

A cirurgia para reparar a coifa dos rotadores é geralmente realizada em regime ambulatório, com artroscopia ou método minimamente invasivo. Graças a essas pequenas incisões, há menos dor e melhor tempo de recuperação.

Após o restabelecimento da coifa dos rotadores, o braço deve ser mantido num suporte de braço durante aproximadamente seis semanas para permitir a sua recuperação. Passado esse tempo, o suporte é retirado aos poucos e começa a fisioterapia. O objetivo inicial da fisioterapia é restaurar a amplitude de movimento. O que normalmente leva de três a quatro meses, a partir da data da cirurgia. Cerca de dois a três meses após a cirurgia, são introduzidos exercícios suaves de alongamento. Em seguida, os pacientes progridem para mais reabilitação.

Embora a variabilidade seja considerável, o tempo médio de recuperação após o restauro da coifa dos rotadores é de aproximadamente de seis meses. Após a recuperação completa, os pacientes geralmente podem retomar as atividades dentro de uma correta tolerância. No entanto, é sempre uma boa ideia evitar levantar objetos desnecessariamente acima do nível da cabeça, para reduzir o risco de problemas recorrentes e futuras lesões.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!