Optometristas reagem à Sociedade Portuguesa de Oftalmologia sobre conhecimentos profissionais

Associação de Profissionais Licenciados em Optometria insurge-se contra posição da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia que, em comunicado, desvalorizou os conhecimentos dos optometristas para tratar as doenças oculares.

0
Optometristas reagem à Sociedade Portuguesa de Oftalmologia sobre conhecimentos profissionais
Optometristas reagem à Sociedade Portuguesa de Oftalmologia sobre conhecimentos profissionais

A Associação de Profissionais Licenciados em Optometria (APLO), que representa mais de 1.256 optometristas, indica em comunicado que “repudia o recente comunicado da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia (SPO), que acusa os optometristas de não possuírem todos os conhecimentos necessários para tratar as doenças oculares e reclama exclusividade na área da visão, divulgado no passado dia 8 de outubro, data em que se celebrou o Dia Mundial da Visão”.

A reação da APLO

A APLO refere que “é falso e calunioso dizer que os optometristas não possuem todos os conhecimentos para tratar as condições ou doenças oculares. É uma enorme falsidade afirmar que o oftalmologista é o único especialista na área da saúde da visão.”

“A Organização Mundial da Saúde e a Agência Internacional para a Prevenção da Cegueira recomendam explicitamente o reconhecimento da profissão de optometrista e a sua integração nos centros de saúde, como o profissional responsável pelos cuidados primários para a saúde da visão”, reforça a APLO.

O valor da formação dos optometristas

“Desta forma despudorada, tenta-se enganar a população omitindo que a Direção-Geral do Ensino Superior classifica os planos de estudos universitários de Optometria exatamente na área da saúde e que os mesmos estão acreditados pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior. A sua formação é feita na mesma Faculdade de Ciências de Saúde da Universidade da Beira Interior e com a cooperação da Escola de Medicina da Universidade do Minho, que formam médicos deste país, tal como consta das declarações públicas destas universidades” esclarece a Associação dos Optometristas.

O comunicado de APLO prossegue referindo que a Associação “é constituída exclusivamente por licenciados de Optometria, sendo que mais de 80% possuem doutoramento e mestrado (5 anos) com estágio incluído, como mínimo, à semelhança de esmagadora maioria dos países europeus e mais avançados no mundo. Aliás, a sua formação específica em erros refrativos e síndromes de visão binocular é substancialmente mais profunda e completa. A profissão de Optometrista é uma das profissões mais valorizadas no mundo, existe há mais de 200 anos e em Portugal são responsáveis por mais de 2 milhões de consultas anuais”.

O reconhecimento internacional dos optometristas

Internacionalmente verifica-se haver o reconhecimento dos Optometristas Portugueses pelo “valor, importância e contributo para a ciência e cuidados de saúde da visão em Portugal e no mundo”, como “na recente nomeação de um optometrista, o único português, pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para perito para o grupo de trabalho de desenvolvimento de intervenções para o erro refrativo desta organização, e na nomeação pela Comissão Europeia (CE) para o painel de peritos em dispositivos médicos para a área da oftalmologia”.

A APLO lembra ainda “o reconhecido o mérito dos optometristas portugueses com a atribuição do prémio Eye Health Hero 2020 da Agência Internacional para a Prevenção da Cegueira (IAPB), na categoria de Change-Makers, sendo a primeira portuguesa a vencer este prémio que reconhece e celebra jovens e futuros profissionais da linha de frente, voluntários e equipas de apoio do setor da saúde da visão a nível mundial”.

A APLO conclui o comunicado afirmando que “não pode, uma vez mais, deixar de lamentar as falsas e irresponsáveis declarações dos dirigentes da SPO que acabam por difamar uma classe profissional inteira e lançam alarme social injustificado”.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!