Palácio da Pena em Sintra: Música vocal e piano recriam salão oitocentista

“Serões Musicais” no Palácio da Pena em Sintra, nos dias 15 e 16 de março viaja ao interior de um típico salão familiar do século XIX, onde música era prática corrente e o papel da mulher fundamental, sendo a voz e o piano elementos centrais.

0
Palácio da Pena em Sintra: Música vocal e piano recriam salão oitocentista
Palácio da Pena em Sintra: Música vocal e piano recriam salão oitocentista. Foto: DR

O ciclo “Serões Musicais no Palácio da Pena” regressa nos dias 15 e 16 de março, às 21h00, com uma viagem no tempo. Nas duas noites, evoca-se a música doméstica, prática muito popular desde meados do século XIX até inícios do século XX, no âmbito da qual as famílias e grupos de amigos se reuniam, geralmente após uma refeição, para fazer música em conjunto, quase de improviso, em ambiente descontraído.

Protagonistas do programa “No salão oitocentista: música vocal e para piano a várias mãos” serão os sopranos Rita Marques e Ana Franco, o meio-soprano Ana Ferro, bem como os pianistas Joana David, Nuno Margarido Lopes e João Paulo Santos. O repertório reunido inclui peças de Schumann, Meyerbeer, Hahn, Gounod, Fauré, Czerny, entre outros.

Com pesquisa musicológica a cargo de Luísa Cymbron e de João Paulo Santos, estes concertos reproduzem, assim, um quadro de época que oferece uma verdadeira viagem ao interior de um salão doméstico oitocentista.

Os Serões Musicais prolongam-se até 30 de março, todas as sextas-feiras e sábados, no Salão Nobre do Palácio da Pena, espaço com uma capacidade de 80 lugares.

O ciclo Serões Musicais no Palácio da Pena é uma iniciativa conjunta da Parques de Sintra e do Centro de Estudos Musicais Setecentistas em Portugal (CEMSP), tendo por diretor artístico o maestro Massimo Mazzeo. Os “Serões Musicais” iniciam a Temporada de Música Erudita da Parques de Sintra, que prossegue em maio com os “Reencontros – Memórias musicais no Palácio de Sintra” e termina com o ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie”, em outubro e novembro.

Informações úteis:

Preço de bilhete por concerto: 15€

Capacidade do Salão Nobre: 80 lugares

Locais de venda: Bilheteiras da Parques de Sintra, FNAC, Worten, El Corte Inglés, Altice Arena, Media Markt, lojas ACP, rede PAGAQUI e Postos de Turismo de Sintra e Cascais.

Online em www.parquesdesintra.pt e em www.blueticket.pt

M/6

Após o início do espetáculo, apenas no intervalo será permitida a entrada na sala. Poderá haver concertos sem intervalo.

Falta de comparência ou atraso não dão direito a reembolso do valor do bilhete.

O ciclo “Serões Musicais no Palácio da Pena” conta com a Antena 2 como ‘media partner’.

Programação “Serões Musicais no Palácio da Pena”

15 e 16 de março | 21h00

Schumann, Meyerbeer, Hahn, Gounod
Rita Marques – soprano
Ana Franco – soprano
Ana Ferro – mezzosoprano
Joana David – piano
Nuno Margarido Lopes – piano
João Paulo Santos – piano

No salão oitocentista: música vocal e para piano a várias mãos

Numa época em que não existiam meios de reprodução do som, o prazer associado à música estava muito ligado ao ato de fazer, de tocar ou cantar. Estas práticas musicais domésticas deram origem a um gigantesco repertório que permitia o envolvimento de famílias e grupos de amigos, em formações variadas nas quais a voz e o piano eram elementos indispensáveis. É esse tipo de ambientes musicais que este concerto pretende relembrar. Luísa Cymbron

22 e 23 de março | 21h00

Schumann – Lieder
André Baleiro – barítono
David Santos – piano

O ‘Lied’ segundo Robert Schumann

Após a contribuição enorme e genial de Franz Schubert, Robert Schumann (1810-56) é a segunda grande figura na evolução histórica do ‘Lied’ – definido, este, como uma canção para voz solo e piano sobre um texto poético em língua alemã. Os três ‘opus’ que hoje ouviremos datam todos eles de 1840, ano no decurso do qual Schumann compôs quase 140 ‘Lieder’, muitos deles de qualidade superlativa! No cartaz desta noite, o destaque há de ir para as 12 canções sobre poemas de Justinus Kerner, a mais negligenciada dentre as grandes coleções de ‘Lieder’ de Schumann. Bernardo Mariano

29 e 30 de março | 21h00

Toldrà, Berlioz, Rossini, Strauss
Elisabete Matos – soprano
Cristóvão Luiz – piano

Nos 150 anos da morte de Berlioz

A canção para voz solo e piano tomou muitas feições no decurso dos séculos XIX e XX. Ao longo deste recital demoramo-nos com composições de três autores latinos – um catalão, um francês e um italiano – tratando textos e conjurando climas que não podiam ser mais diferentes entre si! Por fim, abordamos Richard Strauss, cronologicamente o último grande cultor da tradição do ‘Lied’ germânico, com a particularidade de, a exemplo do ciclo ‘Les nuits d’été’ ouvido antes, todas as cinco canções suas em programa terem sido depois orquestradas. Em pano de fundo, os 150 anos da morte de Hector Berlioz. Bernardo Mariano

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!