Penafiel acolhe Dia Nacional do Motociclista

Milhares de motociclistas em Penafiel, dia 8 de abril, Dia Nacional do Motociclista. Um dia de interiorização, de celebração e confraternização, de bênçãos, mas também de memórias por todos os motociclistas e suas famílias que já partiram.

0
Penafiel acolhe Dia Nacional do Motociclista
Penafiel acolhe Dia Nacional do Motociclista. Foto: DR

Dia 8 de abril, motociclistas e motos fazem da cidade de Penafiel o grande encontro dos amantes das duas rodas. Motos de todos os tipos e dimensões, motociclistas das mais diversas paragens, reúnem-se no 22º Dia Nacional do Motociclista, celebrando a liberdade e o prazer viajar numa duas rodas.

Com Penafiel a ser o centro das comemorações do Dia Nacional do Motociclista, também é celebrada a interioridade, através de um alerta para o interior do país, para as belezas de paisagens e das suas gentes.

Do programa do dia consta, como já vem sendo hábito, com “Charanga a Cavalo da GNR” a abrir a procissão do andor de S. Rafael, padroeiro dos Motociclistas e do andor de S. Martinho, padroeiro de Penafiel. Todos os ‘moto clubes’, ‘clubes motard’ e ‘grupos motard’ participam nessa procissão com os seus símbolos (bandeiras e estandartes), dando cor e vida ao cortejo e tornando-o num dos pontos mais característicos de união e respeito pela liberdade.

A procissão, com início às 14h30, percorre as principais ruas de Penafiel, desde a Igreja do Santuário de Nossa Senhora da Piedade até ao centro da cidade, o Largo da Feira, onde decorrem as cerimónias religiosas presididas por um dos Bispos da Sé do Porto.

A missa solene, com a duração de cerca de 1h30 representa momentos de grande significado para todos os que comungam a paixão pelas motos, pela estrada e pela liberdade inerente à génese do que é “ser Motociclista”.

A celebração religiosa mantém um “cunho” muito pessoal do irreverente Padre Zé Fernando é e precisamente um dos momentos de maior significado para os Motociclistas que nela participam. Um momento em que todos os anos se recorda e presta homenagem a todos os amigos e companheiros de estrada que já nos deixaram, e cheio de uma grande emoção sentida por todos quando os trompetes da “Charanga da GNR” dão o “toque de silêncio”.

No final das celebrações do Dia Nacional do Motociclista, e como ocorre desde há 21 anos, decorre a bênção das motos e dos capacetes e a fechar, o representante máximo da terra que recebeu neste dia tão especial os Motociclistas, dirige algumas palavras aos motociclistas presentes.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!