Politécnico de Leiria com Cátedra UNESCO em Artes, Cultura, Cidades e Criatividade

Cátedra UNESCO no Politécnico de Leiria em “Gestão das Artes e da Cultura, Cidades e Criatividade” vai criar revista dedicada às Artes e Cultura, Observatório Living Cities, dinamizar Fórum para Artes e Sustentabilidade e participar no projeto Mirror Identity Drawings.

0
Politécnico de Leiria com Cátedra UNESCO em Artes, Cultura, Cidades e Criatividade
Politécnico de Leiria com Cátedra UNESCO em Artes, Cultura, Cidades e Criatividade. Rui Pedrosa, presidente do Politécnico de Leiria. Foto: DR

A Cátedra UNESCO de “Gestão das Artes e da Cultura, Cidades e Criatividade” atribuída ao Politécnico de Leiria, vai potenciar a rede cultural e artística existente na região de Leiria e a sua interligação a todo o país. As cidades e a criatividade passam a ser abordadas numa perspetiva em que o conhecimento é posto ao serviço de melhoras condições de vida das pessoas nos espaços urbanos.

Para Rui Pedrosa, presidente do Politécnico de Leiria, a Cátedra UNESCO “afirma todo este território, que funciona em rede, destaca o que de bom existe aqui em termos culturais e artísticos, e de produção de conhecimento, e que fazemos questão de colocar ao serviço da sociedade.”

Cátedra UNESCO com a sede na Escola Superior de Artes e Design (ESAD.CR) tem “a missão de gerar uma nova centralidade ao serviço de uma rede alargada de players na região e no País”, e tornar-se “num projeto aglutinador que mobilize o território.” O presidente do Politécnico de Leiria afirmou, citado em comunicado que será “uma plataforma diferenciadora, de impacto social na dimensão cultural, e ao serviço da comunidade.”

João Bonifácio Serra é o titular da Cátedra UNESCO que tem como objetivos concretos:

conceção de uma revista dedicada à curadoria artística, programação e gestão cultural;

criação do Observatório Living Cities, para investigação e formação em gestão e políticas urbanas para as artes e a cultura;

dinamização do Fórum para as Artes e Sustentabilidade;

participação no projeto internacional Mirror Identity Drawings, para exploração da identidade através do desenho enquanto ferramenta de pesquisa e compreensão.

Para o diretor da ESAD.CR, João Santos, a Cátedra vai conferir à região desenvolvimento económico e social, pela sua capacidade agregadora e de materialização. Para João Bonifácio Serra, o compromisso com a UNESCO, que começou a ser desenhado em 2017, “reforça o projeto de criação da ESAD.CR, a missão impressa nas suas raízes, e permite recentrar este desígnio e fortalecer as redes de conhecimento.”

A Cátedra tem como missão desenvolver investigação e formação em gestão e políticas urbanas das artes e da cultura, em articulação com diversas organizações portuguesas e estrangeiras, nomeadamente para municípios da região, mas também para outros parceiros da América Latina e dos países africanos de língua portuguesa. Rita Brito, da Comissão Nacional da UNESCO, referiu que as 12 cátedras existentes em Portugal têm na sua missão a “partilha, progressão e intercâmbio do conhecimento.”

O Conselho Consultivo da Cátedra UNESCO da ESAD.CR é composto por João Caraça, consultor da Fundação Calouste Gulbenkian; Maria Fernanda Rollo, professora e investigadora e antiga secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior; Fernando Tinta Ferreira, presidente da Câmara Municipal das Caldas da Rainha; Raquel Henriques da Silva, professora e investigadora de História de Arte; Carlos Martins, gestor cultural; Emídio Ferreira, professor e investigador de História de Arte; Madalena Victorino, coreógrafa e curadora; Inês Moreira, professora e curadora; e Ana Umbelino, vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Torres Vedras. A professora da ESAD.CR Luísa Arroz, coordenadora da licenciatura em Programação e Produção Cultural e do mestrado em Gestão Cultural é a coordenadora técnico-científica da Cátedra.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!