Portugal adere à criação da infraestrutura de comunicação quântica da UE

União Europeia pretende desenvolver uma infraestrutura de comunicação quântica e promover a utilização da Distribuição de Chaves Quânticas para tornar a encriptação mais segura. Portugal acaba de assinar a Declaração do Quantum.

0
Portugal adere à criação da infraestrutura de comunicação quântica da UE
Portugal adere à criação da infraestrutura de comunicação quântica da UE. Foto: TVEuropa

O Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, assinou, por Portugal, dia 10 de julho, a declaração sobre o lançamento das bases para o desenvolvimento e a implantação de uma infraestrutura de comunicação quântica em toda a União Europeia (UE).

Até agora assinaram a Declaração do Quantum (Cooperation Framework on Quantum Communication Infrastructure) nove Estados-Membros da UE. Esta adesão vai permitir cooperação para explorar as possibilidades oferecidas pelas tecnologias quânticas, para manter a segurança da infraestrutura digital da Europa e promover a utilização da Distribuição de Chaves Quânticas para tornar a encriptação ainda mais segura.

“Estamos a participar ativamente na construção do futuro através do reforço de parcerias europeias inovadoras que exploram as fronteiras do conhecimento para facilitar novos meios de comunicação e explorar novos horizontes para a realização do projeto europeu“ referiu Manuel Heitor, citado em comunicado do MCTES.

Os Estados-Membros aderentes vão “trabalhar em conjunto e disponibilizar em toda a União Europeia, uma infraestrutura de comunicação integrada, segura e quântica”.

A Declaração do Quantum insere-se também no contexto do próximo quadro financeiro plurianual da UE – um conjunto de programas que visão aprofundar e reforçar as capacidades da Europa em tecnologias digitais avançadas, incluindo as das infraestruturas de cibersegurança, dados quânticos e dados inteligentes, para fornecer dados, informações e serviços relacionados com o espaço e a segurança da UE e dos Estados-Membros, entre eles o programa Horizonte Europa, o programa Europa Digital e o Programa Espacial Europeu.

O desenvolvimento da tecnologia que aborda a Declaração do Quantum “assenta também nos avanços tecnológicos feitos pelos programas espaciais da UE e pela Agência Espacial Europeia (ESA) para aumentar significativamente as capacidades da Europa em comunicações óticas e cibersegurança. Um dos objetivos é usar tecnologias de satélite para distribuir serviços de Quantum Key Distribution (QKD) (uma tecnologia que usa os princípios da mecânica quântica para executar tarefas criptográficas), que não são alcançáveis apenas por soluções terrestres”.

A infraestrutura vai permitir que as informações e os dados sejam transmitidos e armazenados de forma ultra segura em toda a UE. A Integração das tecnologias e sistemas quânticos nas infraestruturas de comunicação convencionais envolve dois elementos: um componente terrestre que utiliza redes de comunicação de fibra existentes que ligam locais estratégicos a nível nacional e transfronteiriço, e um componente baseado no espaço para cobrir distâncias em toda a UE e noutros continentes.

A nova infraestrutura é crítica para sistemas de criptografia contra ameaças cibernéticas, para proteger as redes inteligentes de energia, o controle de tráfego aéreo, bancos, instalações de saúde entre outros. Também vai permitir que os data centers armazenem e troquem informação com segurança e preservem a privacidade, a longo prazo, dos dados do Governo.

A longo prazo a nova infraestrutura deve tornar-se a espinha dorsal da Internet quântica da Europa, conectando computadores quânticos, simuladores e sensores através de redes quânticas para distribuir informações e recursos com segurança em toda a Europa.

Até agora aderiram à Quantum Communication infrastructure (QCI), a Bélgica, Alemanha, Itália, Luxemburgo, Malta, Holanda, Espanha, Hungria e Portugal.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!