“#PUNK” abre Circular Festival de Artes Performativas em Vila do Conde

O 15.º Circular Festival de Artes Performativas decorre de 19 a 28 de setembro, em Vila do Conde. O programa inclui espetáculos únicos que atravessam várias áreas artísticas como a dança, a música, o teatro, a performance ou o pensamento crítico.

0
“#PUNK” abre Circular Festival de Artes Performativas em Vila do Conde
“#PUNK” abre Circular Festival de Artes Performativas em Vila do Conde. Foto: © Ian Douglas

A abrir o 15.º Circular Festival de Artes Performativas, no dia 19 de setembro às 21h30, no Teatro Municipal de Vila do Conde, o espetáculo “#PUNK” da coreógrafa zimbabwense Nora Chipaumire. A coreografa parte do ícone punk Patti Smith e encena um concerto cru inspirado pela ideologia subversiva do punk e pelos seus anos de formação no Zimbabué nos anos de 1970, 80 e 90. Nesta performance a artista aborda conceitos como autorrepresentação, biografia, emancipação, independência, adotando uma visão distintamente punk sobre o conceito de “futuro”: não há futuro; o futuro já existe no presente.

O programa inclui espetáculos de Nora Chipaumire (Zimbabué/EUA), Katerina Andreou (Grécia/França), Ana Pi (Brasil/França), Sensible Soccers e convidados, Vítor Rua e Joana Gama, Luísa Saraiva e Carlos Azeredo Mesquita, Nuno Lucas, Catarina Gonçalves e Filipe Caldeira (Artista Residente da Circular Associação Cultura).

Na área do pensamento, participam no festival, António Guerreiro, João dos Santos Martins e João Pedro Azul. A evocação dos 15 anos do Circular é feita através da exposição “De volta. 15 anos do Circular”, com projeto expositivo de Susana Medina. No primeiro fim-de-semana do Festival há a festa Baile Atlântico com DJ set de Marco, Paulo.

A abertura do 15.º Circular Festival de Artes Performativas está agendada para 19 de setembro, e vai ser assinalada por dois momentos. Às 18h00, no Teatro Municipal de Vila do Conde, é inaugurada a exposição “De volta. 15 anos do Circular” que reúne um conjunto de documentos nos quais os processos de envolvimento de públicos no festival têm principal destaque, com projeto expositivo de Susana Medina, a entrada é livre.

No mesmo dia, às 21h30, no Teatro Municipal de Vila do Conde, a coreógrafa zimbabweana Nora Chipaumire, atualmente radicada em Nova Iorque, apresenta em estreia nacional “#PUNK”, uma provocadora performance-concerto na qual Nora Chipaumire regressa às origens políticas do punk e digere algumas das influências que a alimentaram nos seus anos de crescimento.

Na sexta-feira, dia 20 de setembro, o Teatro Municipal de Vila do Conde recebe a estreia absoluta de “I know it when I see it” de Luísa Saraiva e Carlos Azeredo Mesquita, uma coprodução da Circular Associação Cultural. Para este espetáculo, os intérpretes Luísa Saraiva, Carlos Azeredo Mesquita e Frances Chiaverini pediram a 45 bailarinos de várias cidades europeias para descreverem performances reais ou fictícias, com base nas suas experiências. A partir destas descrições, constroem uma peça que explora a relação entre movimento e linguagem, utilizando conceitos das artes visuais e da linguística que introduzem novas possibilidades sobre como pensar o movimento e o contexto em que a dança é criada.

Nos dias 21 e 22 de setembro, sábado e domingo, decorre no Centro de Estudos Regianos o Seminário com António Guerreiro, crítico literário, cronista no Público e docente convidado na FBAUL, sobre crítica de arte: a sua história, a sua teoria e as suas instituições. O Seminário integra o Ciclo Questões Práticas, coordenado por Joclécio Azevedo (Artista Residente da Circular Associação Cultural) no âmbito do Projeto Educativo da Circular e conta com a parceria da ESMAE e ESAP.

O lançamento do Jornal Coreia #01, editado pela Circular Associação Cultural, é assinalado com uma entrevista-performance de Luísa Saraiva e Carlos Azeredo Mesquita e apresentação de João Dos Santos Martins, no dia 21 setembro, sábado, às 18h00, no Teatro Municipal de Vila do Conde.

Na peça de teatro “Ma vie va changer” Nuno Lucas junta-se aos atores Frédéric Danos e Geoffrey Carey e durante uma refeição, à volta de uma mesa, fabulam sobre o quotidiano. “Ma vie va changer” tem estreia absoluta no sábado, dia 21, às 19h00, no Rancho da Praça – Rendilheiras de Vila do Conde, e incide sobre o prazer de contar histórias, eventos, situações. O querer partilhar algo. Uma pequena janela para o mundo destas três pessoas. A peça é uma coprodução da Circular Associação Cultural.

Ainda no sábado, 21 de setembro, às 21h30, no Teatro Municipal de Vila do Conde, os Sensible Soccers apresentam um concerto especial com convidados que marca o regresso da banda ao Circular. “No quarto das danças” é um espetáculo imaginado pelos Sensible Soccers na sequência de “Aurora”, o último álbum da banda, onde se debruçam sobre a ideia de um Portugal feito de memórias inventadas.

A noite de sábado acaba no Cacau Café-Bar com o DJ Set Baile Atlântico da dupla Marco, Paulo. A partir das 23h00, com entrada livre.

Após a apresentação do espetáculo de dança “Noirblue” no Circular Festival em 2017, Ana Pi regressa ao Festival com o filme “NoirBLUE, les déplacements d’une danse”. O filme é apresentado no dia 25 de setembro, quarta-feira, às 21h30, e será seguido de conversa com Ana Pi. O filme e a conversa têm entrada livre.

A pensar no público mais jovem (crianças a partir dos 6 anos), a pianista Joana Gama apresenta a 26 de setembro, quinta-feira, às 18h30, no Conservatório de Música de Vila do Conde, o concerto comentado “Eu gosto muito do Senhor Satie”, que homenageia o compositor e pianista francês Erik Satie. Além de compositor de música, o Senhor Satie gostava de guarda-chuvas, de desenhar e de marisco. Era uma pessoa solitária, mas com muito humor.

Em estreia absoluta e numa coprodução da Circular Associação Cultural, Catarina Gonçalves e Filipe Caldeira trazem ao Festival a peça “Abrupta”, na qual prosseguem o trabalho de pesquisa e experimentação autobiográfica iniciada no espetáculo “A Caçada”, através da exploração de diferentes possibilidades sonoras, de ressonâncias corporais e vocais e de campos eletromagnéticos. O espetáculo sobe ao palco do Auditório Municipal de Vila do Conde no dia 27 de setembro, sexta-feira, às 21h30.

Também na sexta-feira e no Auditório, às 22h30, decorre o lançamento do n.º 20 da revista Flanzine, seis anos após o seu primeiro lançamento no Circular Festival de Artes Performativas, em 2013. Em associação aos 15 anos do Circular, produziu-se um número especial dedicado à temática do corpo, no qual participam mais de 70 autores, alguns ligados à história do próprio Festival. Para o seu lançamento, o editor João Pedro Azul convidou a artista plástica Bárbara Fonte e a performer Telma João Santos para uma performance, onde as três partes desse Corpo se (re)encontram. A entrada é livre.

O Circular encerra no sábado, dia 28 de setembro, às 21h30 com o concerto de Vítor Rua e Joana Gama intitulado “Home Sweet Sound (Teatro Musical: para uma performer pianista, eletrónica em tempo-real, objetos do dia-a-dia, suporte digital)” e às 22:30 com a performance “BSTRD” de Katerina Andreou (Grécia/França).

“Home Sweet Sound” é um teatro musical para uma performer pianista, eletrónica em tempo real, objetos do dia-a-dia e suporte digital do compositor Vítor Rua e da pianista Joana Gama. “Home Sweet Sound” é um fluxo de gestos criativos timbrados pelo humor e lirismo: incidentalmente, dentro da noção de música/performance art, e pela qualidade inexcedível de Joana Gama, a representação torna-se opípara, rica, irradiando vida.

Já “BSTRD” é um espetáculo a solo, baseado nas noções de impureza e de hibridização. Inspirada principalmente pela prática de amalgamação da cultura House, Katerina Andreou está interessada em desenvolver uma fisicalidade que sirva criteriosamente o conceito de impureza pura. Em palco, a performer é acompanhada por um vinil como cenografia e ferramenta do discurso político e poético de uma figura abastardada e livre.

Os bilhetes têm o custo de 5 € (valor único) e podem ser adquiridos na BOL, Teatro e Auditório Municipal de Vila do Conde. O acesso é gratuito para a Exposição 15 anos Circular, lançamento do Jornal Coreia #01 (levantamento prévio de bilhete), concerto “Eu gosto muito do Senhor Satie” de Joana Gama (levantamento prévio de bilhete) e lançamento da revista FLANZINE n.º 20 (levantamento prévio de bilhete).

Os espetáculos vão ter lugar no Teatro Municipal de Vila do Conde, Auditório Municipal de Vila do Conde, Conservatório de Música de Vila do Conde e Rancho da Praça – Rendilheiras de Vila do Conde. O Seminário com António Guerreiro vai decorrer no Centro de Estudos Regianos e a festa no Cacau Café-bar.

O Circular conta com o Alto Patrocínio da Câmara Municipal de Vila do Conde e é uma estrutura financiada pelo Governo de Portugal – Cultura/ Direção-Geral das Artes.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!