Santuário de Fátima com nova identidade gráfica

Novo logotipo e uma nova identidade gráfica do Santuário de Fátima foram, hoje, 12 de maio, apresentados pelo reitor do Santuário de Fátima, padre Carlos Cabecinhas. O novo logo tem apenas as letras S e F.

0
Santuário de Fátima com nova identidade gráfica
Santuário de Fátima com nova identidade gráfica. Foto: TVEuropa

O reitor do Santuário de Fátima apresentou, hoje, 12 de maio, a nova identidade gráfica do Santuário de Fátima. O novo monograma passa a ser a sigla SF, as iniciais de Santuário de Fátima.

A mudança deve-se, esclareceu o reitor, padre Carlos Cabecinhas, à dificuldade de leitura do atual monograma, ou seja, à atual marca gráfica característica do Santuário, é a que está grafada na torre da Basílica de Nossa Senhora do Rosário, que possui as letras S N S R F.

O padre Carlos Cabecinhas referiu: “Para o Centenário das Aparições, desenvolvemos um logotipo próprio e uma linguagem gráfica renovada”, agora “terminado o itinerário celebrativo do Centenário, entendemos renovar a identidade gráfica do Santuário.”

A nova identidade gráfica do Santuário é da autoria da designer Inês do Carmo, depois de um concurso em que foram convidados 5 designers.

Nova identidade gráfica do Santuário de Fátima
Nova identidade gráfica do Santuário de Fátima. © Santuário de Fátima

O novo monograma proposto pela designer mantem a forma circular, simbolicamente associada à eternidade, em que “a forma inacabada ou aberta das letras S e F, abre esse círculo, evocando quer o acolhimento dos peregrinos, missão principal deste Santuário, quer os muitos caminhos que conduzem a Fátima os peregrinos”, esclareceu o reitor.

Na leitura gráfica, verifica-se que “a colocação do F ao centro ganha a dimensão de cruz, estendendo o seu braço esquerdo até ao S, inicial de ‘Santuário’, mas que evoca também a presença de [Nossa] Senhora junto à cruz de Jesus.”

O reitor fez ainda notar que “a cruz é duplamente referenciada, quer na figuração do F, quer na cruz dourada no centro do monograma”, o “que pretende representar a presença de Deus nos cristãos, assinalados pela cruz de Cristo, que se fazem peregrinos até Deus.”

O fundo em azul, “que iconograficamente remete para a transcendência e o divino, que tradicionalmente remete para Maria” mantém a ligação a versão anterior, e por sua vez, acrescentou o reitor: “O recuso ao dourado, na cruz central, remete para a luz de Deus que, segundo os relatos da Irmã Lúcia, acompanhava as aparições de Nossa Senhora neste lugar”.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!