Satélite Amos-17 já está no espaço para fornecer internet a África

Satélite Amos-17 construído pela Boeing foi lançado ontem, 6 de agosto, para o espaço. O satélite da Spacecom vai fornecer serviços de televisão e internet de banda larga a preços económicos a regiões de África, Europa e Oriente Médio.

0
Satélite Amos-17 já está no espaço para fornecer internet a África
Satélite Amos-17 já está no espaço para fornecer internet a África. Foto: ULA

Um satélite digital 702 construído pela Boeing foi lançado, ontem, 6 de agosto, para o espaço a partir do Cabo Canaveral, Flórida, EUA. O Amos-17 vai fornecer acesso à internet, a preços acessíveis, bem como outros serviços de comunicações nas regiões mais carenciadas de África, Europa e Oriente Médio.

O satélite Amos-17 é operado pela Spacecom, sediada em Israel, e entrará em serviço dentro de poucos meses após os testes em órbita e quando assumir a posição final sobre África.

O AMOS-17, que foi construído com base na plataforma de satélite 702 da Boeing, vai fornecer serviços de televisão, internet e dados a um mercado potencial de centenas de milhões de pessoas nas regiões que vai cobrir.

Dotado de feixes fixos e direcionáveis, o satélite AMOS-17 multibanda pode fornecer serviço contínuo a clientes por um longo período de tempo enquanto movimenta a largura de banda para acomodar a procura de curto prazo de alta capacidade, por exemplo, durante eventos especiais ou desastres naturais.

“O AMOS-17 está repleto de inovações para poder suportar muitas missões de grande exigência”, referiu Chris Johnson, presidente da Boeing Satellite Systems International, Inc. O responsável acrescentou: “Estamos orgulhosos de apoiar a Spacecom no uso da tecnologia de satélite para levar serviços, promover a economia desenvolvimento e promover uma maior conexão entre as pessoas ao redor do mundo”.

David Pollack, CEO e presidente da Spacecom, referiu: “Trabalhar com a equipa da Boeing é uma experiência notável. O compromisso partilhado com o desempenho do AMOS-17 e o pacote avançado de carga útil digital e o cumprimento dos objetivos apertados de tempo e recursos é uma grande vitória para a equipa da Boeing. Estamos ansiosos para completar com sucesso a nossa missão conjunta quando o AMOS-17 iniciar as operações”.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!