Sofia Marques Ramalho distinguida com prémio europeu em obesidade infantil

Investigadora da Universidade do Minho vence prémio europeu em obesidade infantil. Sofia Marques Ramalho é distinguida pelos estudos que tem vindo a realizar sobre comportamento alimentar e pelas intervenções online sobre obesidade infantil.

0
Sofia Marques Ramalho distinguida com prémio europeu em obesidade infantil
Sofia Marques Ramalho distinguida com prémio europeu em obesidade infantil. Foto: DR

A investigadora Sofia Marques Ramalho, do Centro de Investigação em Psicologia (CIPsi) da Universidade do Minho, distinguida com o maior prémio europeu para jovens investigadores em obesidade infantil. O prémio foi atribuído no 28º Congresso da Associação Europeia para o Estudo da Obesidade (EASO), a principal federação de entidades profissionais no âmbito do estudo da obesidade.

Sofia Marques Ramalho foi distinguida pelo seu percurso académico, pelos estudos sobre comportamento alimentar e pelas intervenções online sobre obesidade infantil. “Estou feliz por reconhecerem o meu trabalho na busca de novas formas de tratamento para o excesso de peso/obesidade na infância e adolescência e na interligação com as novas tecnologias” disse a investigadora. A Universidade do Minho lembrou, em comunicado, que em 2020 a investigadora teve a sua tese de doutoramento entre as melhores do ano pela EASO.

O estudo de Sofia Marques Ramalho mostrou, pela primeira vez, que uma intervenção baseada na rede social facebook complementa com eficácia o tratamento usual na obesidade pediátrica em hospitais. Os adolescentes participantes no projeto “APOLO-Teens” passaram a comer duas peças de fruta por dia, mais vegetais e reduziram sintomas depressivos ou certos comportamentos, como o medo de engordar ou o recurso ao petisco.

Num outro trabalho recente, a investigadora concluiu que crianças em tratamento para perda de peso têm, em alguns casos, mães já com comportamentos alimentares problemáticos, sendo que o quadro familiar pode afetar as condutas. Em estudos sob a pandemia de COVID-19 a investigadora demonstrou que o confinamento levou a comportamentos alimentares problemáticos associados a sintomas depressivos, de ansiedade e stress. Neste caso a investigadora sugere uma base de intervenção que mitigue as consequências a curto/longo prazo em contextos similares.

Para a investigadora “a obesidade é um dos mais sérios e graves problemas de saúde pública do século XXI. É uma doença complexa e, também por isso, é crucial que todos adotemos um estilo de vida saudável”.

Sofia Marques Ramalho nasceu e vive em Matosinhos há 30 anos. É mestre em Psicologia Clínica e da Saúde pela Universidade do Minho, doutorada em Psicologia Aplicada pela mesma Universidade e pós-graduada em Psicoterapia Cognitivo-comportamental na Infância e Adolescência pelo Instituto Português de Psicologia.

Atualmente é investigadora no Grupo de Estudos das Perturbações Alimentares do CIPsi, na Escola de Psicologia da Universidade do Minho, em Braga, onde explora as relações neuro-cognitivas da perda do controlo alimentar em adolescentes com sobrepeso/obesidade e testa a eficácia de uma intervenção familiar na rede facebook para essa população, no âmbito de uma investigação financiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

Sofia Marques Ramalho coordena, desde 2016, o Grupo de Jovens Investigadores da Sociedade Portuguesa para o Estudo da Obesidade, que tem lançado artigos científicos, campanhas de sensibilização, simpósios e seminários online, entre outras atividades.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!