Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota polo de dinamização cultural do Porto

O Pavilhão Rosa Mota, no Porto, agora rebatizado Super Bock Arena - Pavilhão Rosa Mota, foi submetido a uma intervenção que permitiu adapta-lo a novas valências e preservar a identidade do edifício, bem como assegurar a acústica para todos os tipos de eventos.

0
Super Bock Arena - Pavilhão Rosa Mota polo de dinamização cultural do Porto
Super Bock Arena - Pavilhão Rosa Mota polo de dinamização cultural do Porto. Foto: DR

Depois de significativas obras de intervenção que foram de encontro às necessidades de conservação e de implementação de mecanismos de engenharia inovadores, o Pavilhão Rosa Mota, no Porto, assume agora a designação de Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota.

A inauguração oficial decorreu ontem, 28 de outubro, mas o concerto de abertura a cargo dos Ornatos Violeta decorre na quinta-feira, 31 de outubro às 22h00. O concerto ocorre também na sexta-feira, 1 de novembro, às 22h00.

O projeto de intervenção foi do consórcio Círculo de Cristal, constituído pela Lucios e pela PEV Entertainment. O espaço agora melhorado está dotado das mais modernas tecnologias e tem capacidade para acolher até oito mil pessoas em eventos culturais, desportivos e empresariais de grandes dimensões.

Com as novas funcionalidades o pavilhão vai também servir como polo de dinamização cultural, dada a proximidade a diversos edifícios que são marcos arquitetónicos emblemáticos da cidade.

Manuel Violas, Presidente do Conselho de Administração do Super Bock Group, afirmou: “É com enorme satisfação que estamos hoje a inaugurar o Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota, um espaço absolutamente magnífico, que vem beneficiar a cidade do Porto e que garante um novo ponto de encontro para milhares, a partir de agora”.

“Para o Super Bock Group significa um novo marco na ligação à cidade, onde nos movemos desde sempre e temos um papel muito ativo, nomeadamente na área da Cultura. Este é mais um contributo relevante e acreditamos que esta nova infraestrutura, com todas as suas valências, irá contribuir positivamente para a dinamização e atratividade do Porto, da região norte e do país” acrescentou o responsável do Super Bock Group.

Rui Moreira, Presidente da Câmara Municipal do Porto, referiu: “Quando no final de 2013 tomei posse como presidente da Câmara, encontrei alguns problemas de resolução muito difícil. Um deles era o facto de o Porto não ter um pavilhão multiusos que pudesse, em definitivo, colocar a cidade na rota dos grandes eventos económicos, desportivos e musicais. Já o temos, seis anos depois”.

O autarca portuense acrescentou: “O renovado Pavilhão Rosa Mota, reconstruído pelas mãos de empresas com raiz e trabalho no Porto, deixou de ser um problema em pré-ruína e é hoje uma solução com presente e com um extraordinário futuro. Sem onerar as contas públicas, resolveu-se um problema que parecia não ter solução. Que afligia e indignava os portuenses. É essa a minha satisfação, porque é incomensurável o interesse público deste importante equipamento.”

O pavilhão é agora uma nova arena com novas valências

De entre as novidades do projeto está a criação de um Centro de Congressos, no piso -1, composto por um auditório em anfiteatro, com capacidade para 532 lugares, uma zona de exposição e quatro salas planas destinadas a eventos empresariais. Os eventos corporate podem ainda decorrer na arena, que conta com capacidade para 5.500 lugares sentados.

As bancadas retráteis são uma das inovações do Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota, uma vez que permitem adaptar o espaço não só ao conceito do evento, como também ao número de pessoas previsto. Respeitando a arquitetura exterior, o edifício dispõe ainda de um restaurante com vista para o lago e jardins do Palácio de Cristal, cuja abertura está prevista para o primeiro semestre de 2020, e um food court de apoio à atividade. No primeiro e terceiro pisos é possível aceder às tribunas. Já os 23 camarotes estão localizados no segundo piso.

Projeto com práticas sustentáveis

O projeto do Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota foi concebido salvaguardando práticas sustentáveis, com o objetivo de deixar uma pegada verde na cidade e no país. Para tal, foram adotadas medidas que prometem garantir uma maior eficácia energética e otimização dos recursos utilizados. Uma delas consiste na refrigeração natural das máquinas de controlo de temperatura recorrendo à utilização da água do lago dos Jardins do Palácio de Cristal, o que permite reduzir os consumos energéticos e gastos de água em cerca de 40 por cento.

A substituição dos vidros existentes na cúpula do edifício por vidro duplo termolaminado pelo interior e temperado pelo exterior permite tornar o edifício mais eficiente do ponto de vista energético. A adoção de sistemas de iluminação eficiente – como lâmpadas LED – e práticas responsáveis de tratamentos de resíduos são outras das opções sustentáveis adotadas pelo novo espaço.

Melhor acústica para todo o tipo de eventos

Uma das preocupações na conceção do novo Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota foi assegurar a acústica do espaço, indispensável para receber todo o tipo de eventos. Ao longo de toda a estrutura da cúpula foi colocada uma multicamada com mais de 40 centímetros de lã de rocha, assim como uma tela acústica que cobre os gomos da cúpula (espaços entre pilares). Esta tela foi devidamente recortada e adaptada a cada óculo de forma a evitar qualquer impacto visual. Os 768 óculos que fazem parte da cúpula do edifício – uma das imagens de marca – mantêm-se, com o objetivo de preservar a identidade arquitetónica exterior.

Uma localização privilegiada na cidade

O Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota encontra-se numa localização privilegiada, com várias opções de comércio e serviços, uma oferta hoteleira com um crescimento sustentado e ainda acesso a uma grande rede de transportes públicos ou às principais vias de acesso rodoviário.

Até à data, o espaço já conta com a confirmação de vários eventos, dos quais se destacam nomes como o projeto “Amar Amália”, a 16 de novembro, “Lisbon Film Orchestra” a 8 de dezembro, Rui Veloso a 14 de dezembro ou “Carmina Burana” a 28 de dezembro.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!