Tapada da Queijeira: uma Nature House no Alto Alentejo

Lugar de encanto natural que remete para um passado que pode ser vivido no presente. A Tapada da Queijeira – Alentejo Wellness Destination, em Montalvão, Nisa, nasce para que possa ser vivida a verdadeira ligação à natureza.

0
Tapada da Queijeira: uma Nature House no Alto Alentejo
Tapada da Queijeira: uma Nature House no Alto Alentejo

A Tapada da Queijeira – Alentejo Wellness Destination é um complexo de turismo rural situado em Montalvão, no concelho de Nisa, Alto Alentejo, e que tem abertura prevista para junho de 2019. Uma Nature House que respeita a traça alentejana, onde os móveis antigos, recuperados, podem contar histórias e os guardanapos bordados em tecido nos remetem para um passado enraizado em tradições locais.

Tudo foi pensado e colecionado ao longo de vários anos para manter a cultura e tradição da região do país onde está instalada esta Nature House.

Margarida Camões, da Tapada da Queijeira, faz o desafio: “Imagine-se a acordar no Alto Alentejo, abrir as janelas e ouvir o som dos passarinhos. Tomar o pequeno-almoço num terraço com uma vista fantástica sobre o montado e observar os sobreiros e as azinheiras que rodeiam a Nature House. Montado é sinónimo de silêncio incrível, amplitude e longitude enormes, colorido inigualável”.

Envolvidos pela paisagem típica do alto alentejano, estão quatro bungalows, num total de oito quartos, também eles com um espaço exterior de relaxamento. A refeição é servida de acordo com o pedido pelo hóspede. Há sempre café acabado de fazer, pão, bolos e compotas caseiras.

Tapada da Queijeira: uma Nature House no Alto Alentejo
Tapada da Queijeira: uma Nature House no Alto Alentejo. Foto: DR

Toda a área envolvente é zona de proteção especial, onde é possível avistar veados, gamos e outras espécies endógenas. A Nature House está integrada no percurso pedestre PR8 (Nisa), de 12 km, dando aos seus hóspedes a possibilidade de desenvolverem múltiplas atividades, assim como a oportunidade de sentir o cheiro e o toque da natureza, bem como encomendar e fazer um piquenique.

“As atividades da casa podem ser acompanhadas. Os nossos hóspedes podem alimentar os animais, ir à horta, recolher os ovos e, até, ajudar a preparar o bolo que vai ser servido à tarde, com café de infusão feito à lareira, no inverno. Uma experiência única que não se explica, tem de ser vivenciada”, referiu Margarida Camões.

A propriedade está orientada a poente e o pôr-do-sol é um quadro digno de se ver. No inverno à noite, a lareira convida a saborear um vinho alentejano e uma tábua de enchidos de Alpalhão ou um queijo DOP de Nisa.

O céu alentejano apresenta o seu encanto e as noites de verão são um convite a um serão no exterior, a sentir a brisa e a escutar da noite, e no mês de agosto, praticamente todos os dias, assiste-se à brama, o chamamento dos veados.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!