Teatro Carlos Alberto abre ciclo de peças dedicado a Mark O’Rowe

No dia 21 de novembro o Teatro Carlos Alberto, no Porto, leva a cena uma das cinco peças de produção do Teatro Nacional São João dedicadas a Mark O’Rowe. O espetáculo “Os Nossos Dias Poucos e Desalmados” é a primeira peça em cena.

0
Teatro Carlos Alberto abre ciclo de peças dedicado a Mark O’Rowe
Teatro Carlos Alberto abre ciclo de peças dedicado a Mark O’Rowe. Foto: ©João Tuna

O espetáculo “Os Nossos Dias Poucos e Desalmados“ uma produção do Teatro Nacional São João (TNSJ) vai estar em cena entre amanhã, 21 de novembro, e dia 30 do mesmo mês, no Teatro Carlos Alberto (TeCA), no Porto.

O Teatro Nacional São João dedica, nas próximas duas semanas, um ciclo de cinco peças, com tradução de Francisco Luís Parreira, a Mark O’Rowe, um dos dramaturgos responsáveis pela renovação do teatro irlandês, em meados da década de noventa, e pelo seu relançamento a nível internacional. “Os Nossos Dias Poucos e Desalmados” é um dos passos, em estreia absoluta, nesta incursão pelo universo de O’Rowe, numa encenação de João Cardoso.

No percurso de Mark O’Rowe, “Os Nossos Dias Poucos e Desalmados” rompe um hiato de sete anos desde Terminus (2007), período em que o dramaturgo se dedicou a adaptações de Shakespeare e Ibsen e à escrita de argumentos para televisão e cinema. O monólogo como máquina de narração e rememoração, tão caro a O’Rowe nas peças anteriores, dá lugar, neste texto, a uma sucessão cronológica de seis cenas, igualmente distribuídas por dois atos, com um prólogo e um interlúdio.

O texto vive de diálogos por vezes frenéticos, pontuados de silêncios inquietantes ou de sussurros inaudíveis. O “drama familiar” de personagens ambíguas, numa história em que a verdade se torna cada mais insondável, conduz o espectador a uma visão dolorosa da humanidade. Tal como nas outras peças de O’Rowe – esta é a quarta encenação de textos do dramaturgo irlandês por parte de João Cardoso –, a opção recaiu numa cena minimalista, despida ao máximo, que amplia o espaço dado à leitura aberta de um tempo e de um lugar possíveis e próximos de nós.

O espetáculo pode ser visto na quarta-feira e sábado, às 19h00; na quinta e sexta-feira, às 21h00; e no domingo, às 16h00. Na sexta-feira, haverá uma conversa pós-espetáculo, sendo que a récita de domingo conta com tradução em Língua Gestual Portuguesa. O bilhete tem o valor de 10 euros.

Mark O’Rowe nos espaços do TNSJ

Após a estreia de “Os Nossos Dias Pouco e Desalmados”, a ASSéDIO apresenta Made In China, a primeira peça dialogada de Mark O’Rowe. A encenação é de Pedro Frias e estará em cena no Mosteiro de São Bento da Vitória (MSBV) nos dias 25 e 26 de novembro. O ciclo dedicado a Mark O’Rowe termina com os monólogos de Sarna, com encenação de João Cardoso, diretor artístico da ASSéDIO, e interpretação de Pedro Frias. O espetáculo pode ser visto entre 2 e 4 de dezembro, no Mosteiro de São Bento da Vitória.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!