teatromosca: espetáculos e debate sobre o setor da cultura

teatromosca apresenta espetáculos e um debate sobre o setor da cultura, para fevereiro e março, em online, a partir do Auditório Municipal António Silva, Sintra. teatromosca agenda para maio um segundo ciclo de performances.

0
teatromosca: espetáculos e debate sobre o setor da cultura
teatromosca: espetáculos e debate sobre o setor da cultura. Foto: © Alez Gozblau e Pedro Figueiredo

Depois do espetáculo “De Cá Para Lá”, de Paulo Lage, para o público mais novo, no dia 20 de fevereiro, às 16h00, e do concerto de indignu [lat.], no dia 27 de fevereiro, às 21h00, o teatromosca propõe-se a arrancar o mês de março com o que chamou “Jornadas de reflexão – Cultura(s) Alicerçada(s)”, uma iniciativa organizada por Pedro Alves, diretor artístico da companhia, que tem como objetivo discutir, ao longo de três dias, três temas fundamentais:

papel da Cultura nas sociedades e o modo como a sua importância é comunicada e percecionada;

gestão de espaços culturais, a criação de redes de programação e a mediação de públicos;

investimento na Cultura e as condições laborais.

Para o debate foi constituído um painel de oradores convidados nacionais e internacionais, como Michel Simonot (escritor, encenador e sociólogo francês), Tiago Rodrigues (diretor artístico do TNDMII), François Colbert (professor especialista em Marketing das Artes e da Cultura canadiano), Joana Cardoso (presidente do Conselho de Administração da EGEAC), Graça Fonseca (Ministra da Cultura), Basílio Horta (Presidente da Câmara Municipal de Sintra e Vereador da Cultura), Françoise Benhamou (professora, escritora e economista, especializada em Economia da Cultura), Samuel Churin (ator e encenador e membro da Comissão de Intermitentes e Precários de França), Paulo Tormenta Pinto (professor e investigador do ISCTE ligado à Arquitetura e Urbanismo) Deolinda de Vilhena (professora adjunta do Departamento de Técnicas do Espetáculo da Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia).

Mas também Dipti Rao (diretora artística da companhia Art X e colaboradora da plataforma cultural Arts and Culture Resources na Índia), Fernando Matos de Oliveira (professor do departamento de História, Arqueologia e Arte da Universidade de Coimbra e diretor do Teatro Académico de Gil Vicente), Carlos La Rosa (Presidente do Iberscena), Daniel Cardoso (coreógrafo e diretor artístico do Quorum Ballet), Jesse James (programador do Festival Walk & Talk), Anthony Fung (professor da Escola de Jornalismo e Comunicação da Universidade Chinesa de Hong Kong) ou Alberto García (coreógrafo e programador do Teatro Pradillo em Madrid), entre outros.

O teatromosca continua a apostar na programação do AMAS – Auditório Municipal António Silva, apresentando todos os espetáculos em livestream, através da plataforma Live Stage da Ticketline, enquanto as medidas de higiene e segurança, não permitirem receber público nas nossas salas.

No mês de março, a primeira semana do Ciclo Performance, vão ser apresentados espetáculos multidisciplinares que deverão desafiar as fronteiras geográficas e da(s) arte(s) nas suas mais diversas formas de expressão. O Ciclo divide-se em duas semanas, a primeira em março de dia 11 a 13, com três performances – “Ensaio Nu” de Catarina Real e Ângelo Cid Neto, no dia 11, “Branco” de Sofia Ribas, no dia 12, e “Ato Invisível” de Sezen Tonguz, no dia 13, todos às 21h00.

Em maio, o Auditório Municipal António Silva, acolhe um segundo ciclo de performances, que se espera já seja possível acolher público. Os bilhetes para estes espetáculos estão disponíveis na Ticketline Live Stage.

Para enviar uma sugestão, por favor faça ou .

Deixe um comentário

Ainda sem comentários!